sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Os 5 papéis do crente na vida cristã.



Os 5 papéis do crente na vida cristã: Uma leitura do Capítulo 2 da Segunda Epístola a Timóteo.
Jonas Dias de Souza

Quando falamos em papel, falamos em personagem. Na vida assumimos vários personagens ao longo da existência. Somos filhos, alunos, namorados, noivos, pais, trabalhadores e seguimos vivendo, por vezes sem nos darmos conta desta leitura de mundo e como nos comportamos diante das várias situações que se apresentam.
Na vida devotada ao cristianismo não é diferente, temos que ir assumindo os papéis que o crescimento espiritual nos coloca pela frente. Caso isto não ocorra estamos fugindo de nossa missão, e seremos eternos meninos, crentes frágeis, acreditando em tudo que alguém fala no altar. Ficamos eternas crianças que interrogam a vontade, mas não correm atrás de respostas. O apóstolo Paulo, escreveu para Timóteo sobre direitos e deveres, mas as recomendações se aplicam aos crentes de todo mundo. Sabemos que a preguiça intelectual para com as coisas do alto são obstáculos na vida do crente. Nada mais do que um reflexo da ausência de estudos bíblicos, sobra muito culto “disto” ou “daquilo” e pouco culto de doutrina verdadeira, sã. Podemos acreditar que há uma parcela de falsos ensinadores que não desejam a independência de suas ovelhas, afinal, é mais fácil arrancar-lhes a lã se elas não pensarem por si. Impossível crescer espiritualmente sem a ajuda imprescindível do Espírito Santo. Quando lemos a Segunda Carta a Timóteo, aprendemos que o Espírito Santo é um Espírito de Poder, de Amor, de Moderação, da Vida, de Sabedoria, de Santidade e de Graça. Jamais um Espírito de covardia. É com este Espírito nos auxiliando que vamos passando pelos personagens que devemos viver na vida cristã.
O primeiro
papel: Filho
Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. (2Timóteo 2.1)
Como filho devemos ser forte na Graça que há na herança recebida por meio do sacrifício de Cristo. Ao morrer na Cruz ele nos fez herança sua, ovelhas de seu rebanho, desde que aceitemos a oferta propiciatória que ele se tornou em nosso lugar. Nós deveríamos morrer pelo nosso pecado, mas Cristo se fez substituto pela humanidade e a redimiu. Como filho somos herdeiros.
O segundo papel: Soldado
Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo. (2 Timóteo 2.3)
O soldado é aquele que se abdica de coisas prazerosas para cuidar da segurança de outras pessoas. Ao contrário do que prega a mídia, o papel de soldado quando bem cumprido, requer abnegação e compaixão. O soldado revestido da armadura de Deus não se embaraça com as coisas deste mundo, mas sofre o sofrimento do irmão, o que chamamos de empatia. Quando aceitamos a Cristo como nosso salvador. Quando deixamos de ser escravo do mundo. Quando reconhecemos o sacrifício na cruz. Somos feito filho, mas também, nos alistamos no Grande Exército do Povo de Deus que luta contra as forças espirituais, contra as potestades. Deixamos de ser civil (mero expectador) para sermos colocados na linha de frente, alvo dos ataques do inimigo. Como soldados de Cristo, entramos na lida e devemos interceder em oração, compreender as fraquezas. Para isto, temos um arsenal a nossa disposição. (Leia Efésios 6)
O que ilustra o papel do soldado na vida cristã pode ser visto nos papéis que os soldados de Davi exerceram: Foram corajosos e dedicados, Consagrados e cheios do Espírito Santo, Arriscavam a sua vida prontamente, renunciavam a tudo, voluntários e cheios de fidelidade, desprendidos, solidários pois ajudavam aos feridos. (Saiba mais lendo: 1 Cr 11.15-20; 12.16-18; Gn 14.14-16; Rm 16.4; Jz 7.7; 2Sm 15.19-22)
As qualidades dos soldados de Davi devem ser inerentes aos soldados de Cristo.
O terceiro papel: Atleta
Igualmente o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas. (2Timóteo 2.5)
As normas da vida Cristã encontra-se na Palavra de Deus que é a Bíblia. Ocorre que toda norma deve ser interpretada, em especial, esta, deve ser auxiliada em seu entendimento pelo Espírito Santo de Deus. A Bíblia pode sim ser manipulada conforme a vontade humana. Mas o crente estudioso da Palavra de Deus, saberá ver e perceber as distorções que falsos pastores fazem da palavra. Como por exemplo, pedir para vender carro e doar para a igreja. Este estelionato espiritual que algumas igrejas vem mostrando é fruto da falta de estudo da palavra. São cegos guiando cegos. O crente no papel de atleta mantém a sua higidez física e espiritual. Com isto não teremos ovelhas raquíticas pela falta de alimento espiritual, e nem ovelhas obesas por comerem em demasia a falsa palavra. A vida do atleta cristão deve ser equilibrada. Enquanto alguns correm para receber a coroa que se corrompe, o crente corre pela coroa incorruptível.
O quarto papel: lavrador
O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a participar dos frutos. (2Timóteo 2.6)
A igreja deve ser uma agência evangelizadora em tempo integral. Não falamos de frutos materiais. Esta teologia da prosperidade que expropria as ovelhas em prol de pastores, deixando-os ricos e obesos, a passear com seus carrões, é uma falsa palavra, uma falsa doutrina. Participar dos frutos é saber que o crente que trabalha na obra de Deus, receberá as bênçãos espirituais em primeiro lugar. Não é pecado ser próspero materialmente, o pecado consiste em fazer perder as ovelhas, pregando e colocando um fardo que não é bíblico nas costas de um irmão que perdeu o emprego, que mora de aluguel, ensinando falsas doutrinas para angariar riquezas e construir grandes templos, enquanto o irmão passa suas necessidades. A igreja deve pregar a palavra, mas deve fazer valer o seu papel social. O lavrador que semeia bem a Palavra, vê os frutos produzidos, num perdido que foi salvo e em conseqüência deste abraço ao cristianismo, tem a sua vida transformada. Além da salvação, Cristo dá uma qualidade de vida melhor, seja no lar ou no meio profissional. A nação ganha quando o Evangelho é semeado por bons lavradores.
O quinto papel: Obreiros
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. (2Timóteo 2.15)
A palavra de Deus possui desdobramentos após a sua pregação. Ao ser fiel a palavra, o semeador (obreiro fiel) leva o Povo de Deus ao cume de uma vida cristã saudável. As ovelhas não serão raquíticas pela falta de ensino, e nem tampouco, obesas pelo excesso de calorias em forma de doutrinas humanas e espúrias. Serão ovelhas saudáveis que recebem bem o alimento servido com qualidade e fidelidade. Manejar bem a palavra, é procurar não moldar a palavra de Deus aos interesses humanos da igreja, seja para exigir o que a Bíblia não ensina, como o “trízimo” este péssimo exemplo de enriquecimento ilícito por parte de algumas denominações.  Sabemos que o estudo bíblico é cansativo. Dizer que estudar a Bíblia é fácil é pregar algo que não é verdadeiro. Sabemos também que há pessoas que tem dificuldades de admitir isto. O importante em manejar bem a palavra, é ser fiel, dentro daquela capacidade que o Espírito Santo coloca a disposição do crente. Não há necessidade de todo ser crente ser teólogo. É claro que há teólogos que não são crentes. Manejar bem a palavra da verdade, é ser verdadeiro quanto ao que a Bíblia fala e calar quando ela se cala. Por exemplo, o Batismo é uma seqüência do crer  e não uma condição. Aquele que aceita a Cristo como salvador (Crê), aceita ser batizado em nome do Pai, do filho e do Espírito Santo e passa a fazer parte da congregação, que a igreja em suas diversas denominações. “Quem crer e for batizado será salvo”, “quem não crer será condenado”. Não há como crer e não aceitar o batismo. É um paradoxo, o crente que se diz crente e não aceita o compromisso do batismo.

Fique na Paz do Senhor Jesus cristo! E descubra outros papéis na leitura da Bíblia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.