sexta-feira, 29 de abril de 2016

SABEDORIA VERSUS CONHECIMENTO: UM CONFLITO A SER ESCLARECIDO









SABEDORIA VERSUS CONHECIMENTO: UM CONFLITO A SER ESCLARECIDO
            Jonas Dias de Souza[1]

            A minha Mãe não teve a oportunidade de freqüentar uma escola. Era classificada como analfabeta segundo os padrões culturais e sociais em que vivemos. Contudo, se é algo que não podemos dizer a respeito dela é que não era sábia. Inúmeras vezes proibiu amizades minhas com “uns caras legais” e que posteriormente mostraram que ela tinha razão em proibir a convivência. Não saber ler e escrever não significa ser desprovido de sabedoria. Conhecimento e sabedoria não são a mesma coisa, mesmo que possam ser relacionados. Um homem que não teve a possibilidade de receber a instrução formal pode ser infinitamente superior em sabedoria a um erudito. Através da freqüência aos educandários podemos adquirir conhecimento, mas a sabedoria tem a ver com o conhecimento intuitivo das coisas e situações.
            Tive o prazer de conviver com um Pastor que também não tinha estudo, e tinha até uma dificuldade de leitura, mas quando se punha a explicar as passagens do culto prendia toda a platéia, posso imaginar muitos se perguntando como podia tal fato se suceder. Se o conhecimento é ligado à teoria, a sabedoria é ligada à prática. Talvez seja por isto que a cultura oriental valoriza a figura do idoso, do ancião, elevando-o a um patamar de respeito. Embora, sabemos que a idade não signifique necessariamente sabedoria.
            Na vida Cristã temos como adquirir sabedoria através da
leitura atenta da Bíblia, seguida de Oração. Neste contexto sabedoria e conhecimento se juntam.  O estudo bíblico sem oração pode ser tratado como conhecimento bíblico.  O supra-sumo da sabedoria, é a sabedoria de Deus. O fim último de Deus é a sua Glória. Deus não dá a ninguém a sua Glória. Assim deve ser a nossa caminhada cristã, qualquer ato que venhamos a fazer deve visar a Glorificação de Deus. Quando lemos a Bíblia, quando cantamos um hino, quando oramos, quando trabalhamos, quando amamos a nossa esposa, quando abençoamos nossos filhos, tudo deve ser para a Glória de Deus.
            O apóstolo Paulo escreveu um hino de adoração a Deus pela sabedoria que Ele nos demonstrou através de seu plano para a humanidade. Muito embora tenhamos dificuldade de compreender os planos divinos, sabemos pela Fé que Deus não é arbitrário. O governo de Deus sobre este universo  é realizado com perfeita sabedoria, justiça e amor.
            “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente amém” (Romanos 11.33-36)
            Somos todos dependentes de Deus para adquirirmos sabedoria, do contrário teremos somente um vasto conhecimento bíblico, uma erudição que pode até agradar o nosso público, mas poderá não edificá-lo. Poderá deixá-los com os ouvidos inchados e com os corações vazios. Contudo, quando estamos revestidos da sabedoria de Deus e estamos sob o governo do Espírito Santo, agimos em sabedoria. A sabedoria de Deus é personificada. Ao lermos Provérbios Capítulo 8, aprendemos que passamos a odiar o mal quanto mais tememos e respeitamos a Deus. A sabedoria é um alicerce que não podemos dispensar na condução de nossas vidas. A sabedoria Divina é perfeita e nós podemos ser participantes dela. Quando houver um problema a ser solucionado, devemos pedir a Deus para que o resolvamos de forma a glorificar o nome de Deus e fazê-lo sabiamente. A bíblia mostra a loucura como contrária à sabedoria.
            Mas será que podemos ver a sabedoria de Deus?


            Conforme a Bíblia sim. Um dos princípios da Hermenêutica Bíblica é que ela explica a si mesma. Vejamos:
CRIAÇÃO
“A lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices.” (Salmo 19.7) A lei do Senhor não nos aprisiona ou acorrenta, mas ao contrário nos dá liberdade e nos guia iluminando nosso caminho. A organização celestial (conforme descrito pela astronomia) revela uma complexidade e organização que apontam para um ser grandioso. Ao contemplarmos a natureza devemos agradecer a Deus pela sua criação. Um simples vaso de flor revela a beleza que a vida dada por Deus está repleta de sabedoria. Uma semente que gera uma planta, dá flor e fruto e carrega consigo todas as informações para gerar uma nova vida. Quando lemos o Salmo 104, vemos um resumo da criação do mundo em forma de poesia. Cada pessoa com um talento diferente. Cada ser com uma função diferente. São verdades reveladas na natureza. Sabemos que existem pessoas arrogantes o suficiente para não admitir a necessidade do ser humano em depender de Deus, mas até a nossa respiração depende do que Ele criou.
PROVIDÊNCIA
  “O SENHOR  desfaz o conselho das nações; quebranta os intentos dos povos. O conselho do SENHOR permanece para sempre; os intentos do seu coração, de geração em geração.” (Salmo 33.10-11) Ao contrário dos homens, Deus é plenamente confiável. Não há incoerências no conselho divino, contudo, precisamos buscar com diligência seu conselho. A palavra de Deus transmite tudo que é sábio para a edificação de nossas vidas. Deus opera em acontecimentos isolados, mas também opera no conjunto. Sempre para o bem dos homens que o obedecem. Embora as circunstâncias se mostrem desfavoráveis, Deus realiza a transformação ou nos beneficia com elas. Paulo escreveu aos Romanos: “ E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.” (Rm 8.26) O cristão nunca está desprovido de recursos para lidar com os problemas. Mesmo não sabendo ou não encontrando as palavras certas, o Espírito Santo ora com e ora por  nós. Não precisamos ter receio de nos aproximar de Deus quando estamos auxiliados pelo Espírito. Ainda em Romanos: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto.” (8.28) A partir do momento que o homem recebe a Cristo, passa a ver a vida com uma nova perspectiva. O Espírito ajuda e intercede, isto é compaixão.
REDENÇÃO
Nossa vida Antes de Cristo:
·         Mortos por causa pecado
·         Debaixo da Ira de Deus
·         Obedecendo ao mundo e aos seus ditames
·         Inimigos de Deus
·         Escravos do diabo e seus anjos
·         Obedecendo aos nossos desejos de pecado
Nossa Vida Depois de Cristo
·         Renascemos em Cristo
·         Recebemos de Deus a Misericórdia  e a Salvação
·         Somos testemunhas de Cristo e de sua verdade
·         Estamos livres em Cristo para amarmos e servirmos e ainda nos assentarmos com ele
·         Ressuscitamos para a Glória de Deus.
“Todavia, falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo que se aniquilam; mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual ordenou antes dos séculos para nossa glória; a qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da Glória.” (1 Coríntios 2. 6-8) A oferta de salvação oferecida por Deus vem oculta em mistério, mas não á algo para nos desesperar, a partir do momento que aceitamos o convencimento do Espírito Santo e decidimos aceitar a operação de Cristo em nossas vidas, vamos compreendendo a tão falada “loucura da pregação”.  Sabemos da erudição Paulina e como ele poderia facilmente convencer seus ouvintes partindo de sua inteligência e intelectualidade, no entanto, permitiu-se ser guiado pelo Espírito Santo e falou de forma simples aos simples e com erudição aos eruditos.  A este respeito leia o artigo neste blog: O CRISTIANISMO NO BERÇO DA FILOSOFIA: PAULO DISCURSA NO AREÓPAGO CONFRONTANDO EPICUREUS E ESTÓICOS.
      Quando falamos de conhecimento e de sabedoria, utilizamos Paulo como modelo, ele não desprezou o estudo bíblico e tampouco da preparação para pregar.  Está implícito que ele valorizava tanto o conhecimento quanto a sabedoria. Não podemos utilizar como desculpa para a preguiça intelectual o fato de que o espírito santo nos diz o que falar. A efetividade da pregação é centralizada no estudo bíblico e no suporte do Espírito Santo. Preparação cuidadosa, com observação das normas gramaticais e de concordância verbal. Uso do tempo certo dos verbos. Postura no púlpito respeito para com os ouvintes. Já observei professor de Escola Bíblica chegar na classe e perguntar qual lição seria a daquele dia. Ou tergiversar com histórias. Já observei pregações que se perdem por falta de roteiro. Mesmo sendo possível que o Espírito mude o roteiro ou tema conforme a circunstância devemos nos preparar.  Neste sentido, o conhecimento adquirido através do estudo sistemático da Bíblia e da Teologia, encontra o alicerce na sabedoria dada pelo Espírito para que a Boa Nova seja pregada.
Estude, se prepare e peça sabedoria a Deus, que a todos dá liberalmente. “Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois, pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia.” (Tiago 3.17). A sabedoria terrena (conhecimento) é em muita inferior a sabedoria que vem do alto. Mas a última pode alicerçar a primeira para que a utilizemos para a honra e Glória de Deus, para a nossa edificação e dos membros da igreja. Para falar de salvação e para melhora a qualidade de vida da nossa comunidade.


[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João Del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela UFSJ.

Um comentário:

  1. Parabéns, excelente post e concordo plenamente com o irmão. Deus o abençoe em seu ministério, sua vida com Deus e sua família.

    ResponderExcluir

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.