sexta-feira, 29 de abril de 2016

A SEGUNDA VINDA DE CRISTO.





A SEGUNDA VINDA DE CRISTO.
Jonas Dias de Souza[1]

            A esperança é uma força motriz que move o ser humano. Através da esperança a vida segue rumando pelas intempéries de uma forma mais resoluta. As dificuldades são vencidas, os obstáculos transpostos. Mas, mais forte do que a esperança é a Fé. A esperança traz consigo uma dúvida interior. A Fé traz a certeza de que as coisas mudarão. Enquanto depositamos a esperança nas ações humanas, depositamos a Fé na ação de Cristo. E paradoxalmente mantemos uma mais do que uma esperança, somos revestidos de uma ESPERANÇA EM CRISTO. Explico. A esperança na humanidade não se compara com a esperança em Cristo.
            Cristo prometeu retornar pouco antes de subir aos céus diante de um monte de testemunhas. Se na lei basta três, a ascensão de Jesus foi presenciada por várias pessoas. Nas palavras do médico e historiador, e evangelista Lucas, é utilizado o plural “levou-os fora”.  Marcos afirma que “depois de lhes ter falado”.  Antes desta subida aos céus, houve a promessa de que iria retornar. João 14 fala desta promessa, que está sendo cumprida no que respeita à preparação dos lugares. A Fé nos mostra que o céu está sendo preparado para aqueles que aceitarem a Cristo como salvador.
            Como será está segunda vinda?
A primeira, sabemos por relatos de que ele veio de uma maneira discreta, revelada a alguns poucos homens. Nasceu em uma manjedoura, e uma estrela anunciou a sua vinda a pastores e guiou reis até o local. A segunda vinda, ao contrário será de forma grandiosa, para causar um impacto na humanidade e nos seus governos humanos, e será sem anunciar. Na verdade este anúncio está acontecendo na pregação do Evangelho e através dos princípios de dores que a Bíblia descreve.
Será rápida: “Porque, assim como o relâmpago que sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem.” (Mateus 24.27). A fidelidade cristã será provada em tempos de dificuldade, mas a vinda de Cristo será inconfundível. Na sua segunda vinda não haverá como duvidarmos de sua identidade. Será uma volta evidente para todos.
Será anunciada com brados retumbantes jamais vistos pela humanidade: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alartido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus (...)” (1º Tessalonicenses 4.16).
Será com eventos miraculosos: “e os que morrerem em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.” (1º Tessalonicenses 4. 16b-17)
            Estes eventos mostram o quanto não precisamos nos preocupar com a morte ou com as tragédias mundiais desde que estejamos alicerçados em Cristo Jesus.
Será com a imutável natureza de Cristo: Não virá um outro Jesus, mas o mesmo Jesus que subiu aos céus. “Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez, para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para a salvação.” (Hebreus 9.28) Esta segunda volta de Cristo completará a “Consumação dos séculos”, que é este tempo presente que estamos vivendo. Será a consumação da Era da Graça e do Perdão.
Será uma volta surpresa, seguida de grandes eventos geológicos (apocalípticos): Quando a humanidade menos tiver esperando acontecerá. Muitos serão tomados de surpresa. Por isto a pregação deve ser Cristocêntrica, para preparar a humanidade através da divulgação das Boas Novas. “Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra e as obras que nela há se queimarão.” (2 Pedro 3.10) O fato de sabermos que a terra sofrerá o juízo da ira de Deus (queimada pelo fogo divino) nos leva enquanto servos de Deus a colocar a nossa confiança naquilo que é duradouro. Esta surpresa não pegará os crentes despreparados.
Será vitoriosa e vista por todos:  “Eis que vem com as nuvens, e todo olho verá, até mesmo os que os traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim! Amém!” (Apocalipse 1.7) A segunda vinda será  um evento global que será visto pelos mais longínquos povos da terra.
Não está longe de acontecer:  O tempo de Deus não é nosso tempo. A vida humana foi comparada pelo profeta Isaías com um vapor de chaleira. No Kairós de Deus a sua vinda está muito próxima. “Eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo para dar a cada um segundo a sua obra.” (Apocalipse 22.12)
As Boas Novas ou os Evangelhos são a narração dos planos de Deus para a humanidade. Justiça e Misercórdia. O tempo de clamarmos pela misericórdia é este, tempo presente. O agora. Aceitar a Cristo como Salvador não é algo que pode ser deixado para depois. Não se trata de ser ou não Evangélico. Esta nomenclatura denominacional, está aquém da Igreja Invisível que é a união de todos os crentes ao redor do planeta. Não posso afirmar qual igreja será salva. Posso afirmar que a Bíblia diz que, Deus amou o mundo de uma maneira tão incondicional que deu Jesus para servir de sacrifício vivo para resgatar-nos da garra do pecado. Aceitar a Cristo é reconhecer que nele encontraremos a salvação. Quanto a Fé, esta nos será aumentada cada dia, pelo Espírito Santo.
            Pense bem! Uma vida com cristo durante toda a eternidade, ou um sofrimento eterno, caracterizado por uma morte terrível que é a morte espiritual, separado do amor de Deus. Aceite a Cristo, sem se preocupar em qual igreja irá se reunir. Peça ao Espírito Santo que te guie para uma igreja que atenda aos requisitos bíblicos. Escute o que Deus irá te falar através de um homem comum (como você e eu) no altar. Quando ele fizer um convite para aceitar a Cristo, não tenha receio de levantar a sua mão e dizer de forma pública que o aceita como Salvador. 
Está escrito:
“E digo-vos que todo aquele que me confessar diante dos homens, também o  Filho do Homem o confessará diante dos anjos de Deus.” (Lucas 12.8)
            Que tal Orarmos?
Senhor Deus, pedimos que nos envie em nome de Jesus Cristo, seu Espírito Santo para nos convencer da Justiça, do Pecado e do Juízo. Reconheço que Cristo é o meu Salvador, e peço que escreva meu nome no Livro da Vida. Amém!
Agora procure uma igreja perto de sua casa e comece a aprender sobre a Bíblia.



[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João Del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela UFSJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.