sexta-feira, 4 de março de 2016

O PARADOXO ESCATOLÓGICO COMO O FIM DE TODAS AS COISAS.




O PARADOXO ESCATOLÓGICO COMO O FIM DE TODAS AS COISAS.
Jonas dias de Souza1


Um assunto que suscita muitas discussões é a escatologia. Considero muito difícil chegarmos a um consenso algum dia. Consideradas as várias correntes teológicas existentes, é natural que estas discussões avancem ao longo do tempo até que o próprio tempo coloque fim em todas as coisas. Obviamente o tempo do fim é conhecido somente pelo Pai, esta afirmação é bíblica, e suscita mais controvérsias com alguns dizendo que após a ascensão aos céus, Cristo tomaria conhecimento desta data. Controvérsias e conjecturas à parte, somos levados a perguntar o motivo deste assunto despertar tanto medo na humanidade e possuir tanta dificuldade no meio evangélico.
Escatologia é um assunto difícil (penso eu) porque ela é metafísica na sua forma de pensar. Falamos de uma metafísica sem o sentido pejorativo que é aplicado ao termo. Sabemos que existe uma parte prática no evangelho (práxis) mas existe a parte da fé. Esta fé ultrapassa a barreira do físico e do natural. Ocorre que a crença fundamental do Cristão é a volta de Cristo que será precedida de eventos que fugirão da naturalidade, será portanto sobrenatural. Prendemo-nos muitas vezes a conceitos do léxico, sem aprofundarmos reflexivamente no que vem a ser ou no que poderia ser.
Escondemos nossos pensamentos com medo de sermos intepretados de forma a não conseguirmos ser entendidos naquilo que pensamos. Isto é normal, porque nossas falas são inseridas em contextos de vida diferente do nosso e da nossa realidade. Qual o motivo que nos levou a aceitar a Cristo? Sabemos que o Espírito Santo convence da justiça, do pecado e do juízo. Contudo, existe um motivo natural que muitas vezes não nos damos conta. Um exemplo, pode ser a paz em nossa consciência. Mas se aceitamos a Cristo somente para termos uma qualidade de vida melhor nesta vida, seremos muito pobre em nossa fé. Acreditar que haverá uma vida futura, eterna e incomparável com esta é que faz nascer a escatologia. É mais do que um estudo sobre o fim das coisas, é saber ler na história da humanidade e nos acontecimentos mundiais (tendo sempre a Bíblia como parâmetro) que estes eventos estão cada dia mais se intensificando. O que para um incrédulo é motivo de medo, para o crente é sinal de regozijo e alegria.
Então o crente se alegra com o fim do mundo? A resposta é um sonoro sim. Se alegra porque sabe que o Rei está voltando e seremos transformados em seres diferentes. Estudar escatologia não deve ser feito com medo ou apreensão, mas com a alegria de que é salvo e justificado em Cristo Jesus. Esta alegria é que nos dará a facilidade para compreendermos os eventos mundiais à luz da escatologia. Neste interlúdio temporal não podemos nos esquecer de que fomos comissionados pelo Rei a anunciar a sua volta.
Graça e Paz.
1Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus em São João del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.