sábado, 28 de novembro de 2015

SEGURANÇA NA IGREJA.

SEGURANÇA NA IGREJA.
Jonas dias de Souza
O grande desafio da igreja no que concerne a realização de eventos é contar com equipe especializada e pequenos orçamentos. Não falamos aqui das grandes organizações, mas das pequenas igrejas localizadas no interior ou pequeno ministério nas capitais. Esta apostila não pretende esgotar o assunto que é vasto por sua complexidade. Após a introdução ao assunto caberá aos dirigentes, obreiros e cooperadores ir estudando o assunto para capacitarem-se de modo ininterrupto.
Vivemos numa época marcada pela violência, pelo desamor e pela insensatez humana. É fato notório as notícias de roubos, furtos e até mesmo crimes contra a vida nas proximidades ou no interior de templos religiosos.





A Igreja enquanto templo físico já não infunde mais o respeito de outrora. Houve época em que durante uma guerra era possível asilar-se dentro de uma igreja. Hoje a intolerância religiosa faz dos templos alvos de ataques diversos. Não há denominação que esteja mais segura que outra: Assembleianos, Batistas, Católicos, Metodistas, todos devemos ficar atentos ao assunto segurança em templos e em eventos religiosos.
Não espere o leitor encontrar passagens bíblicas como acontece em escritos destinados ao público cristão, a finalidade é acordar para um assunto que deve ser discutido com imparcialidade, sem melindres e sem medo de cortarmos na carne.
Podemos estimar que grande parte dos templos religiosos funcione numa espécie de amadorismo. Não vamos falar aqui daquelas pequenas congregações instaladas em ambientes pequenos (garagens) que abundam o território nacional. Assim introduzido o assunto vamos adequar a experiência de mais de duas décadas militando na área de segurança pública com o desejo de que possamos adorar a Deus de forma segura.
ALGUNS CONCEITOS DE SEGURANÇA: