sexta-feira, 3 de abril de 2015

O PODER DA PALAVRA DE DEUS EM NOSSAS VIDAS: O QUE DEVEMOS FAZER ?






O PODER DA PALAVRA DE DEUS EM NOSSAS VIDAS: O QUE DEVEMOS FAZER?
Jonas Dias de Souza[1]
As Sagradas Escrituras são conhecidas normalmente como A PALAVRA.  É comum nos referirmos ao contido na Bíblia (seja no Antigo Testamento ou Novo Testamento) como A PALAVRA.  Então a palavra alimenta o espírito. Consola a alma. Quando nos congregamos em Louvor e adoração a Deus, nos cultos dominicais, ou ainda, quando nas Escolas Bíblicas, nos dedicamos a ouvir a palavra, estamos propiciando o alimento que nos mantém espiritualmente aptos a continuar a nossa santificação progressiva. Por isto, o pregador que desvirtua a palavra, moldando-a e não sendo moldado por ela, comete uma espécie de adultério espiritual. O pior é que ainda levam consigo ovelhas, expulsando-as do aprisco.
Quais são os poderes da Palavra?

         1)        O PODER DE ORIENTAR.
“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz, para o meu caminho” (Salmo 119.105)
Quando temos que caminhar em um local cheio de perigos precisamos de luz. Como numa floresta à noite. Mas, quando temos que tomar decisões também  precisamos de luz, para que nossas respostas sejam conforme o desejo de Deus para as nossas vidas. Há um ditado popular que diz “o homem põe e Deus dispõe” (isto não é bíblico). Mas devemos saber que quando colocamos os nossos planos debaixo da vontade de Deus, Ele nos orienta para que saibamos como tomar as decisões corretas e melhores para as nossas vidas. Podemos não caminhar literalmente numa floresta, mas estamos num mundo em que enfrentamos batalhas espirituais diárias, isto em todos os campos. Numa sociedade em que nos deparamos com falsas filosofias e redes de ensinos desvirtuados, estudar a Bíblia (A PALAVRA)  é uma forma de abrirmos os olhos e vermos de forma clara o caminho certo. Quando a luz nos ilumina os pés,  caminhamos de forma segura. As palavras que se relacionam com lâmpada: reluzir, cintilar, luz, iluminar. 

       2)      O PODER DE NOS FAZER ALCANÇAR A FÉ.
“De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Romanos 10.17)
Quando estamos sentindo que a nossa fé é fraca, é através da audição da palavra que Ele nos aumenta a fé. A palavra de Deus produz fé em nós. Inúmeras vezes fraquejamos diante  dos obstáculos da vida. Nestes momentos a Palavra de Deus é a bússola que guia nossa mente para o repouso.  Águas tranqüilas pode ser comparada à serenidade necessária para fazermos frente às questões da vida. Quando lemos na Palavra de Deus que o SENHOR é nosso pastor e que somos levados e conduzidos para as águas tranqüilas, fortalecemos a nossa fé em Cristo. Já dissemos que a vida em Cristo não é como prega a Teologia da Prosperidade, sem dificuldades. Ser crente em Cristo implica em passar por atribulações. Mas assim como Cristo venceu o mundo nós também venceremos. Chegar em casa depois de um dia cansativo no trabalho e encontrar forças para ser mãe e ser pai e atender aos filhos, é melhor realizado escudado na sabedoria que a Palavra de Deus proporciona.
      3)      A PALAVRA TEM O PODER DE VIVIFICAR.
“Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; retendo a palavra da vida, para que no Dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.” (Filipenses 2.14-16)
As expressões “o Dia de Cristo” (Fp 1.10: 2.16): “o Dia de Jesus Cristo” (Fp 1.6); “o Dia do Senhor Jesus” (1 Co 5.5: 2 Co 1.14): “o Dia de nosso Senhor
Jesus Cristo” (1 Co 1.8). denotam o tempo da parousia[2] de Cristo com os Seus santos, subseqüente ao arrebatamento (1 Ts 4.16.17). Em 2 Pe 1.19. esse Dia e mencionado simplesmente como “o Dia”. (Vine, et al.)

Ouvimos com muita freqüência que enquanto crentes em Cristo devemos ser sal da terra e luz do mundo. Será que pensamos de fato o que vem a ser isto? Imagine, se as pessoas ouvirem somente as notícias de fofocas e “tristemunhos” a respeito da igreja. Se ouvirem somente notícias de contendas, de brigas, de divisões. O que será do Evangelho? Por isto contendas e murmurações significam a morte da congregação. Onde entra o ensino sadio a respeito da Palavra de Deus, alicerçado na Bíblia com a iluminação do Espírito Santo, ocorre o verdadeiro avivamento. Avivamento sem renovação espiritual, não passa de movimento cultural. A igreja que não é vivificada pela Palavra de Deus, não possui a unidade Cristã que é tão necessária para o sadio crescimento. Lembre-se crescimento é diferente de inchaço. Com vistas a mostrar ao mundo o Cristo verdadeiro, devemos ser vivificados por sua Palavra. Sendo então homens e mulheres vivificados daremos o verdadeiro testemunho.
“Nossa vida deve se caracterizar pela pureza moral, paciência e serenidade para que possamos “resplandecer como astros no mundo” em um mundo pervertido e corrupto. Uma vida transformada representa um efetivo testemunho da Palavra de Deus. Será que a sua vida está brilhando com esplendor ou está obscurecida por murmurações e contenda? Brilhe para que o mundo possa ver Deus em sua vida.” (CPAD, 2011)

A vivificação pela Palavra de Deus, implica em leitura da Bíblia de forma sistemática, e oração e jejum: Oração+jejum+Palavra= vivificação.

    4)      SOMOS FORTALECIDOS PELO PODER DA PALAVRA DE DEUS.

“Guardai, pois, todos os mandamentos que eu vos ordeno hoje, para que vos esforceis, e entreis, e possuais a terra que passais a possuir.” (Deuteronômio 11.8)

Há que se ter um cuidado especial, para analisarmos o que vem a ser força. Esta força que falamos, é aquela que provém da submissão à vontade de Deus. A força humana, paradoxalmente é uma fraqueza. Temos aqui os benefícios da obediência a Deus. Obedecer é garantia de vitória. Mas somente somos de fato fortes se nos submetermos àquilo que Deus Deseja para nós.  A força humana pode ser transformada em teimosia contra Deus. Por isto somos “fortalecidos” pela Palavra de Deus.   Podemos dizer, que é uma força revestida de sabedoria, assim é a força que provém de Deus e de sua Palavra. O que esta passagem de Deuteronômio nos ensina é que, os Israelitas estavam saindo de uma terra (Egito) em que semeavam as suas sementes e cuidavam de suas porções como se fosse uma horta. Agora, enfrentariam uma terra formada de montes e vales. A simbologia de montes e vales representa os perigos que existem no mundo e com os quais nós (Crentes em cristo) temos que confrontar diariamente. Também representam condições de perigo e solidão ou perigo. Crentes fracos são presas fáceis para as armadilhas mundanas.

     5)      PELO PODER DA PALAVRA DE DEUS OBTEMOS AVIVAMENTO.
“O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida.” (João 6.63)
Somente através da ação do Espírito Santo em nossas vidas é que percebemos a necessidade que temos de mudar de vida. Deus é o início e o fim de toda renovação.  A verdade revelada por Deus, vive em cada ser humano, mas, é através dEle que somos capacitados a entender e compreender esta verdade. Lembremos do que Agostinho de Hipona, ensinou, crer para entender e entender para crer. Reside aí a importância do estudo da Palavra de Deus (como afirmamos) de forma séria, sistemática. Contudo, temos notícias de que algumas igrejas suprimiram a Escola Bíblica Dominical e os cultos de doutrinas estão cada vez mais vazios.
Quando diligenciamos no estudo da Palavra de Deus, e em oração clamamos pelo entendimento ao Espírito Santo temos a garantia dada por Deus de que Ele vela pela sua palavra. “E disse-me o SENHOR: Viste bem; porque eu velo sobre minha palavra para a cumprir.” (Jeremias 1.12)



O QUE DEVEMOS FAZER PARA QUE ESTE PODER COMECE A OPERAR EM NÓS?
PASSO 1: É NOSSO DEVER EXAMINAR A PALAVRA.
“Examinai as Escrituras, porque vós cuidais de ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam”. (João 5.39)
Não devemos a exemplo do que fizeram os líderes judeus da época de Cristo, ter um envolvimento tão grande que a religião, e perdermos Cristo de vista. Uma leitura da Palavra simplesmente com a intenção de termos um desenvolvimento intelectual é altamente prejudicial. Não que não seja correto estudá-la nos diversos cursos. Digo que estudar, para poder ensinar, compreender o que fazer e como agradar a Deus. Para se ter uma regra de vida. É diferente de estudá-la para simplesmente ostentar um anel de grau no dedo anelar e se sentir um intelectualizado. São objetivos distintos. Examinar as escrituras, nos remete à ação dos crentes Bereanos.
“E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Beréia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos Judeus. Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado, receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” (Atos 17.10-11) (grifo nosso)
Ao examinarmos as Escrituras não nos tornamos presas fáceis de lobos vorazes, vestidos de ovelhas. Pseudo-pastores que tentam expropriar o rebanho sugando suas ovelhas. Por outro lado, obtemos um crescimento espiritual sadio ao confiarmos na palavra examinada. Precisamos conferir nas Escrituras os sermões que ouvimos diariamente. É preciso vencermos a inércia intelectual e estudarmos a Bíblia. Quem prega a palavra verdadeira não cai em contradição.

PASSO 2: DEVEMOS CRER NA PALAVRA.
O Evangelho de João nos mostra a passagem em que Jesus anuncia a sua ressurreição. Jesus não se referia ao templo do qual estava sendo expulso, mas ao seu próprio corpo que é o templo por excelência.
“Mas ele falava do templo do seu corpo. Quando, pois, ressuscitou dos mortos, os seus discípulos lembraram-se de que lhes dissera isso; e creram na Escritura e na Palavra que Jesus tinha dito”. (João 2.21-22)
Podemos e devemos orar e pedir a Deus para que nos aumente a Fé. Crer é fundamental para que o Poder da Palavra de Deus opere em nós. Nicodemos foi um dos poucos, que ocupando uma liderança religiosa creu em Jesus. O resultado foi o novo nascimento. Aquele que estava no início com medo de ser visto em público com Jesus, foi quem uniu-se a José de Arimatéia para sepultá-lo. O que era um ponto fraco transformou-se em ponto forte pela ação exclusiva da Palavra Viva.
A crença na Palavra é ensinada ao carcereiro que guardava Paulo e Silas na prisão: “E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.” (Atos 16.30-31)
Ao crermos em Jesus (A Palavra Viva de Deus) e entregamos a ele a nossa vida, temos assegurada a Salvação. Salvação não é finalidade, mas sim um meio para vivermos eternamente com Deus. A conclusão da história deste carcereiro é que “alegrou-se com toda sua casa”.
Hoje em dia temos uma sociedade repleta de tristezas, porque as pessoas estão algemadas pelo pecado. Cristo é aquele que liberta, dá vida e mais que isto a vida é em abundância. Para isto devemos crer. E podemos pedir a Ele que nos ajude a crer.  A simplicidade do Evangelho reside no fato de que basta crer na Palavra para ser salvo.  “Mas que diz? A Palavra está junto de ti, na tua boca, e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos, a saber: Se, com tua boca confessares ao Senhor Jesus, e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo.” (Romanos 10. 8-9) A Salvação nunca foi e nem será um processo difícil ou complicado, ela está perto de nós, tanto quanto nossa boca e coração.

PASSO 3: É NOSSO DEVER DIVULGAR A PALAVRA.
“Como, pois invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? (Romanos 10.14)
O IDE que Jesus ordenou, (é isto mesmo), uma ordem não pode ser negligenciada. Pregar e difundir as Boas Novas do Evangelho é a maneira que encontramos de fazer frutificar a Palavra de Deus no próximo e em nós mesmos. Quando pregamos, quando anunciamos, fortalecemos a nossa fé. Frutificamos e demonstramos que estamos enxertados na Oliveira Verdadeira que é Cristo Jesus. Ser sal e luz, é isto (também) pregar a Palavra Viva. O Cristão não evita os relacionamentos com os não-cristãos, não se fecha em uma concha, mas, aproveita as oportunidades para divulgar a Palavra de Deus.
Jesus operou maravilhas por sua Palavra e ainda hoje faz isto. Opera em nós (quando assim o permitimos) a maravilha da salvação. O que vem é por acréscimo. A Paz familiar. A Paz no ambiente de trabalho, escolar, social e a Paz na consciência. Assim como, o perdão dos pecados, a qualidade de vida, tudo é acrescentado. “Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6.33)




[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João del-Rei/MG. Pós Graduando em Ciências da Religião pela UCAM. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD.
[2] Em certos casos, a palavra grega parousia transmite a ideia da presença (2 Co 10.10; Fp 2.12). A verdade do NT esta centrada em Cristo como a presença viva de Deus. A consistente ênfase bíblica esta na presença eterna de Deus. A palavra parousia, como um termo escatológico, significa o momento da volta de Cristo, mais a sua subseqüente presença ao lado de seu povo redimido (1 Ts 2.19; 3.13; 4.15; 5.23 etc.). Era um termo oficial cara a visita de um rei ou imperador a uma de suas províncias.

2 comentários:

  1. MENSAGEM BELÍSSIMA, DEUS É A LUZ, QUE CLAREÁ NOSSOS CAMINHOS,
    E A SUA PALAVRA , NOS DÁ A DIREÇÃO CERTA.

    ResponderExcluir
  2. MENSAGEM BELÍSSIMA, DEUS É A LUZ QUE CLAREÁ NOSSOS CAMINHOS.
    E A SUA PALAVRA , NOS DÁ A DIREÇÃO CERTA.

    ResponderExcluir

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.