domingo, 15 de março de 2015

AS TRÊS CATEGORIAS DE LEIS EXISTENTES NO ANTIGO TESTAMENTO.



AS TRÊS CATEGORIAS DE LEIS EXISTENTES NO ANTIGO TESTAMENTO.
Jonas Dias de Souza[1]
                Antes da morte de Cristo na Cruz as pessoas estavam obrigadas a cumprir a lei. Na atual dispensação, estamos sob o Governo da Graça, mas isto de maneira alguma implica em não termos responsabilidades. Uma interpretação equivocada pode gerar num falso cristianismo. Principalmente com relação às afirmações Paulinas, certas pessoas tendem a entender que a lei não se aplica à igreja gentílica. Não é isto, determinadas leis do Antigo Testamento ainda governam as atitudes dos verdadeiros crentes (discípulos) em Cristo. Exemplo, são os mandamentos, não foram abolidos.
                Contudo, o foco do escrito é aprender sobre os três tipos ou categorias de leis existentes no Antigo Testamento.

 LEI CERIMONIAL:
                A lei cerimonial se relaciona de forma específica com a adoração de Israel. O principal objetivo era mostrar ou apontar para Jesus Cristo. Como sabemos, a tipologia de Cristo é evidente ao longo de todo o Antigo testamento (AT). Decorre que na Dispensação da Graça, considerando que Cristo já morreu na Cruz pelos nossos pecados, a Lei cerimonial perde seu efeito. Obviamente, o princípio de Amar e Adorar a Deus não foram abolidos. Cristãos gentios foram muitas vezes acusados por Judeus Cristãos de violarem esta lei.
                Vale a pena vermos o que Levítico nos ensina no primeiro capítulo quando Deus dá a Moisés as instruções para as ofertas (os holocaustos).
E chamou o SENHOR  a Moisés e falou com ele da tenda da congregação dizendo: Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando algum de vós oferecer oferta ao SENHOR, oferecereis as vossas ofertas de gados, de vacas e e de ovelhas. (Levítico 1.1-2)
No AT, o sacrifício era a única forma das pessoas se aproximarem de Deus e assim restaurar o relacionamento interrompido pelo pecado. Simbolicamente o sacrifício de animais visava o cumprimento de dois propósitos. O primeiro era que o animal tomava o lugar do pecador e pagava a pena pelo pecado no lugar do pecador. Em segundo lugar, a vida doada do animal ocupava o lugar da vida do doador. Uma vida por outra vida. Como enfatizamos, esta cerimônia perdeu lugar no Calvário, haja vista, o sacrifício perfeito de Cristo.
A Lei Cerimonial eram portanto regras de adoração. Legislava sobre a relação dos Israelitas com o Tabernáculo, com o Sacerdócio, com as Ofertas.
“Seria um grande erro confundir estes sacrifícios com os sacrifícios pagãos da antiguidade, sacrifícios que através dos seus rituais faziam descer as suas divindades ao nível das paixões humanas, atraindo-as para seu favor, e praticar algumas vezes atos abomináveis.” (Paganeli, 2001)
LEI CIVIL:
Não podemos comparar o mundo moderno com o do AT. As leis civis visavam regular a vida diária de Israel. Querer trazer para o mundo hodierno algumas daquelas leis e impor este jugo sobre o crente é motivo de conflito.
Um exemplo da Lei Civil nós podemos encontrar no livro de Deuteronômio. Por exemplo a respeito de empréstimos. Temos de forma análoga o que no nosso ordenamento jurídico é chamado de Exercício arbitrário das próprias razões, e ainda uma possível Violação de Domicílio. Com vistas a proteger a segurança do lar e do patrimônio, temos um exemplo de norma civil.
“Quando emprestares alguma coisa a teu próximo, não entrarás em sua casa para lhe tirar o penhor. Fora estarás, e o homem, a quem emprestaste, te trará fora o penhor.” (Deuteronômio 24.10-11)  
LEI MORAL:
A obediência à lei moral visa agradar a Deus e não alcançar a salvação.  Uma vida ética vem com a salvação e não o contrário. A lei moral contida nos 10 mandamentos não foi abolida. Se há pessoas que dizem que Jesus veio abolir a Lei, afirmam-no sem conhecimento das Santas Doutrinas. A lei moral exige rigorosa obediência e nos revela a essência, o caráter de Deus.
Concluindo:
O importante é levarmos uma vida ética baseado em verdadeiros valores cristãos.  É necessário que tenhamos coragem de enfrentar as questões morais que a modernidade coloca a nossa frente. Para isto devemos orar e pedir ao Espírito santo que nos guie pelos estudos do Antigo Testamento. Não podemos nos esquecer que a Bíblia forma uma unidade. Utilizar passagens isoladas é um perigo. Por exemplo, há pessoas que tentam justificar até hoje o sacrifício de animais como forma de agradar espíritos da natureza, alegando que no AT havia sacrifícios. Esquecem-se que a Graça veio para que não precisássemos mais derramar o sangue de animais pelos nossos pecados.
Bibliografia.
Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.  São Paulo : [s.n.], 2003.
Paganeli, Magno. Onde estava o Cristo: Identificando Cristo nas figuras do Antigo Testamento  - São Paulo/SP : Candeia, 2001.









[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões em São João-del-Rei/MG. Pós Graduando em Ciências da Religião pela UCAM. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.