quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

DEUS NÃO TEM RESPONSABILIDADE COM A MINHA IRRESPONSABILIDADE.








DEUS NÃO TEM RESPONSABILIDADE COM A MINHA IRRESPONSABILIDADE.
Jonas Dias de Souza[1]
               
                A placa diz 80 km/h, mas o acelerador é firmemente pressionado. O carro alcança 100 Km/h... 120 Km/h... 160 Km/h. Então de repente surge um obstáculo. A lei da física é clara: “Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço”. Ocorre um Choque mecânico. As forças da massa do veículo são colocadas agora sobre a massa do corpo humano. Houve uma escolha deliberada do motorista em acelerar. Ocorre que quando ele se habilitou a dirigir aprendeu que não se pode negligenciar a sinalização. E aí? Culpa de Deus? E quanto aos passageiros que foram coniventes com a irresponsabilidade?
            Poderíamos enumerar uma série
de irresponsabilidades que vemos cotidianamente. Depois de tudo, alguns tendem a questionar o motivo da permissão divina para tais acontecimentos. Deus respeita o livre arbítrio do homem. Ele não obriga o homem a respeitar as leis que foram criadas pelos próprios homens. Mas algumas leis da natureza não podem ser desobedecidas, senão por meios miraculosos. As leis da física são algumas destas leis.
            Em quais campos da vivência humana podemos ser irresponsáveis? Em todos que exige um comportamento do qual não podemos fugir. Um comportamento de poder-dever. Geralmente, a sociedade exige este tipo de postura no campo ético-moral, mas assim mesmo, tolera ações desde que não sejam vistas. A isto podemos chamar Hipocrisia.
            A hipocrisia é uma máscara que vestimos como se estivéssemos atuando num grande palco teatral. Como os personagens da tragédia clássica grega, que usavam máscaras para que ficassem escondidos.  A hipocrisia é o contrário da sinceridade. Mas como isto diz respeito ao cristianismo? De várias maneiras. Respondemos.
            Uma das principais responsabilidades é a nossa missão de embaixadores do Rei. Aqueles que têm o privilégio de serem ordenados líderes de um rebanho assumem a responsabilidade sobre este rebanho. E as nossas ações devem ser de cuidar destas ovelhas para que elas não se percam. Portanto aqueles pastores que semeiam heresias sobre a mente dos membros são responsáveis pela perdição destes. É também sobre este tipo de irresponsabilidade que Deus não tem responsabilidade. A Bíblia alerta para o fato de que tais pessoas serão confrontadas e enumerarão as obras que fizeram em nome de Jesus, mas que Ele (Jesus) os afastará. Ora, a condenação que buscamos para as nossas vidas, por causa de nossas irresponsabilidades, não pode ser imputada como injustiça divina. Deus não tem responsabilidade sobre as minhas irresponsabilidades.
            E assim ocorre com outras áreas da vida. Um criminoso pode arrepender-se por causa de seus crimes, mas não pode se furtar a pagá-los diante da justiça dos homens. Esta ideia de que Deus perdoa, é verdade no sentido espiritual. Mas o fato de aceitarmos a Jesus, não pode ser utilizado como pretexto para fugirmos  de nossa responsabilidade diante da sociedade humana. Pelo contrário, é justamente por que aceitamos a Cristo que assumimos a nossa responsabilidade.
O apóstolo Paulo escrevendo aos Efésios, os exorta à santidade:
Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros. Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo. Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim transmita graça aos que ouvem. (Efésios 4. 25-29)
Quando o homem torna-se instruído pelo amor de Jesus cristo, as coisas que lhe eram impossíveis tornam-se possíveis. Isto se deve ao fato de que a natureza pecaminosa dá lugar à natureza espiritual. Não confundir com espiritualismo. Somente Jesus Cristo é a certeza absoluta dos benefícios que o Evangelho (Boas Novas) podem fazer nas vidas dos homens que estão no pecado. Contudo, há pessoas que diante do Evangelho, ainda se mostram desobedientes. O que o apóstolo Paulo denominou de Filhos da desobediência.
Portanto, se o homem se mantém impassível e não assume a responsabilidade de aceitar a Cristo como seu legítimo e suficiente salvador, ele está isentando a Deus de assumir a responsabilidade para com ele.



           


               



[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João del-Rei/MG. Pós graduando em Ciências da Religião pela UCAM. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia pela EETAD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.