quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

QUAL O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL?




QUAL O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL?
Jonas Dias de Souza
Pode parecer óbvio uma reflexão desta data neste dia. Mas a filosofia é uma reflexão sobre os momentos que vivemos. Não há como filosofar sobre abstrações que não nos dizem respeito. E esta época do ano acaba afetando a todos de uma forma ou de outra, mesmo que o sujeito não goste e não ligue para o natal, acaba sendo coisificado pela moderna sociedade que tenta lhe empurrar todo tipo de mercadoria. Esta coisificação não pode ser absorvida por nós. Temos que nos manter independente da sociedade consumista.
Neste contexto saímos da filosofia e mergulhamos na Teologia. Esta relação com Deus que no cotidiano já demasiado fraca, nesta data é subvertida por uma relação com um velhinho de roupas vermelhas que foi criado por uma grande indústria de refrigerantes a base de cola. Sorrisos amarelos enfeitam os rostos de colegas de trabalho que não se deram bem o ano todo, mas que a etiqueta social impõe cumprimentos formais nas entregas do chamado amigo oculto. Uma troca de gentilezas que deveria ser espontânea natural e cotidiana nos demais dias do ano. A canção noite feliz deveria ser entoada todas as noites. Como num velho jargão assembleiano “uma boa noite de salvação”.  Quantas boas noites estão sem salvação e sem o sentido de uma boa noite de fato.
Lembremos o que de fato deve permear esta noite de natal. “E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem. (Lucas 2.7).  Muitos não acreditarão, assim como muitos não acreditaram. Julgam ser um relato incerto. Mas a grande verdade é que é este um dos sentidos do natal. Comemorar o nascimento de Jesus Cristo. Não importa se ele nasceu ou não no dia 25 de dezembro. O que importa é que Ele veio ao mundo para nos salvar. Não é um profeta, não é um avatar, não é apenas mais um iluminado como ensinam alguns. Ele é o Filho primogênito que foi dado ao mundo para o salvar da justiça divina. Há um ensino equivocado de que Cristo pagou a dívida ao diabo. Na verdade Ele pagou a dívida para Deus. O fato que deve ser lembrado nesta noite é: “Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens. (Lucas 2. 8-14)
A humildade da manjedoura deu lugar às ceias suntuosas para poucos e nada de ceia para muitos. Por Ceia entendamos as necessidades básicas de cada ser humano. Como disse Paulo quando escreveu a Tiago: “Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com trajes preciosos, e entrar também algum pobre com sórdido traje, E atentardes para o que traz o traje precioso, e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé, ou assenta-te abaixo do meu estrado,
Porventura não fizestes distinção entre vós mesmos, e não vos fizestes juízes de maus pensamentos? Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? (Tiago 2.2-5)
Podemos encontrar outro sentido para o natal?  Podemos de fato lembrar que Cristo Nasceu, e morreu na cruz? Podemos retirá-lo da manjedoura e contemplá-lo no madeiro. Olhando para a cruz e prosseguindo a cada dia de janeiro até dezembro.

Reflitam...

domingo, 13 de dezembro de 2015

A INEVITABILIDADE DA TEOLOGIA.





A INEVITABILIDADE DA TEOLOGIA.
Jonas Dias de Souza[1]
O que é ser cristão?
Esta reflexão necessária e inevitável precisa ganhar espaço entre a comunidade cristã. Uns dirão que é ser crente, e outros que é ser seguidor de cristo. E se ambos estão corretos em sua maneira de responder, podemos a exemplo da maiêutica socrática, ir colocando uma série de “por que e porque” até não conseguirmos mais responder com a nossa inteligência. Desta parte em diante temos que partir da Fé para continuarmos a acreditar.  Parodiando Santo Agostinho, diríamos que cremos para entender e entendemos para crer. Ouso afirmar contudo, que falta a segunda parte da sentença, ou até mesmo que, diante do quadro grave de deturpação das Boas Novas, a segunda parte é impraticável.  Se cremos para entender, cremos em uma notícia velha e gasta, propagada nos púlpitos de forma a enriquecer o pregador e espoliar as ovelhas já tão doentes. Se entendemos para crer, não há entendimento, sobre as Boas Novas, pois esta não é pregada. Parece um círculo infinito do qual não há saída. Mas somente parece. Existe uma saída que é resumida em Oração e Palavra. A oração cuida da parte do crer e a Palavra da parte do entender.
Isto por si só resolveria a proposta de uma discussão sobre a inevitabilidade da teologia.  O cerne do problema do cristianismo no presente século não se resume tanto a

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

POR QUE EU DEVO PARTICIPAR DO GRUPO DE ORAÇÃO?






POR QUE EU DEVO PARTICIPAR DO GRUPO DE ORAÇÃO?
Jonas Dias de Souza

Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens;
Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;
Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,
Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.
1 Timóteo 2:1-4

Existe uma brincadeira no meio cristão, em que se afirma que há “crente seis horas” e “crente nove horas”. O Crente “seis horas” é

domingo, 6 de dezembro de 2015

Por que eu devo ir à Igreja?


Por que eu devo ir à Igreja?
Jonas Dias de Souza[1]
Já fui um daqueles que não gostava de ir à igreja. É verdade. Existiu uma época de minha que inventava um monte de desculpas para não ir à igreja: mau tempo, cansaço, e outras desculpas vis e fracas. Foi um período de muita “cabeça quente”. Não deixei de ter os problemas, mas hoje os enfrento com serenidade. De cabeça erguida. Pois na igreja eu recebo o Ensino da Palavra de Deus, que carrega as minhas baterias. Na igreja eu participo da Ceia do Senhor Jesus. E aprendo com meus irmãos. Na igreja que eu congrego tem Escola Dominical. Tem culto de ensino. Tem um povo de Deus honesto.
Congregar é a coisa mais importante na vida do Cristão. Tomemos como exemplo um casamento em que deixa de ser cultivada a amizade, a cumplicidade e que um não procure entender os outros. Imaginemos outra situação em que uma pessoa se isole de tudo e de todos. O que acontece? A Morte. É isto mesmo. A ausência da congregação faz com que a morte espiritual se instale aos poucos em nossa vida.  Quando vamos para a igreja nós compartilhamos com os outros (a nossa ajuda) e recebemos aquilo que o outro compartilha (recebemos ajuda).  Se a sua igreja não mais lhe desperta a vontade de reunião, procure descobrir onde está o problema.
De qualquer forma a oração é a peça fundamental para a solução deste problema. Se os problemas são as atitudes alheias que incomodam, você deve orar para Deus (de acordo com a vontade dele) mudar a situação. Se o problema é você, a oração visa provocar mudanças interiores.
Se existe um segredo, ele deve ser descoberto com a oração.  O que deve acontecer na Igreja? Principalmente a PREGAÇÃO DA PALAVRA.  A igreja pode ser ativa socialmente, pode assemelhar-se a um clube, pode ser um refúgio, pode ser  um apoio para a sociedade. Mas se ali não há palavra, a genuína palavra de Deus, as Boas Novas do Evangelho, a Bíblia e a Escola Dominical, ela não fará a diferença enquanto Sal e Luz de uma terra necessitada.
A igreja que não alimenta espiritualmente o rebanho está equivocada e enganando.
Então por que eu devo ir à igreja? Se não concordo com nada que acontece lá, e não quero mudar. Você pode procurar uma igreja que te agrade. Uma igreja perto de sua casa, uma grande ou pequena, uma igreja em outro bairro. O que não deve acontecer, é levar uma vida de crente desigrejado.  Crente desigrejado leva uma vida solitária.  Recebeu uma benção, mas não há onde dar testemunho. Recebeu livramento, mãos não há como testemunhar. Por isto não ajudou a fortalecer a fé de ninguém.  Congregar é uma via de mão dupla, por exemplo, recebemos oração e oramos pelos outros. Sustentamos e somos sustentados. Congregar e Evangelizar.
Então estamos combinados. Firmamos-nos na Rocha que é Jesus cristo e vamos congregar. Como Davi escreveu:
“ALEGREI-ME QUANDO ME DISSERAM: VAMOS À CASA DO SENHOR.” (Salmo 122.1)





[1] Jonas Dias de Souza é servo de Deus e congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela UFSJ e estudante de Teologia da EETAD.

Por que eu devo aceitar a Cristo como salvador?





Por que eu devo aceitar a Cristo como salvador?
Jonas Dias de Souza

Muitos fazem esta pergunta, mesmo que de forma inconsciente.  Na grande maioria não conhecem o motivo de ter que aceitar a Cristo como salvador. Uns por questão de fé em outros deuses e outros por ignorarem quem é Cristo e quem é Deus.
Vejam a diferença entre deus e Deus. Sim, existem entidades que são adoradas como deuses, mas não possuem o amor que Deus possui pelo homem. Então falamos aqui do Deus verdadeiro (o de Abraão, o de Isaque e o de Jacó), o Deus que fez um plano para retirar a humanidade do véu e do engano em que ela se encontra.
Há muitas eras Deus criou o homem para reinar em uma terra ecologicamente correta, sem os problemas que ele enfrenta hoje. Entrou uma coisa na vida do homem, chamada pecado. O pecado é aquilo que faz você errar o alvo. E qual é o alvo? O alvo nosso é Cristo. A forma que Deus encontrou para perdoar a humanidade foi cobrando um resgate de sangue.  Seu filho Jesus Cristo aceitou pagar este resgate. Portanto a dívida que tínhamos para com Deus foi paga quando Cristo morreu em uma cruz.  Ele não morreu para pagar a dívida para o diabo como pensam alguns. O nosso resgate foi pago para Deus. Por isto o homem para ser merecedor deste resgate deve aceitar o sacrifício que Cristo fez na cruz.
É como se devêssemos para a justiça terrena e o juiz sendo nosso pai, nos condenasse. Em seguida ele daria a volta por traz da mesa e quitasse a nossa dívida.  Não é complicado como pensam alguns.
Para quitar a dívida da humanidade Ele (Deus) deu o filho primogênito para morrer pelos demais. Mas os demais só serão incluídos na lista dos que estão quites, se aceitarem o sacrifício do primogênito.  Deus não obriga ninguém a aceitar a Cristo como salvador, mas não disponibilizou outros caminhos. A afirmação corrente e comum de que “todos os caminhos levam a Deus” é uma forma de esconder o verdadeiro caminho.  O único advogado autorizado a comparecer na corte é Cristo. Quando aceitamos a Cristo como advogado, estamos no caminho.  Não importa o que você fez até o presente momento (o que não significa que não deve pagar para a justiça humana) são esferas diferentes.  Mas, supondo que você está com a consciência muito pesada, perdido, sem amigos, sem rumo, sem norte, sem saber o que fazer, o remédio é Cristo.
Você chega para Ele que Ele chega para você. É muito simples.
Veja:
CRISTO EU SOU UM PECADOR.  EU QUERO SER NOVAMENTE UM FILHO DE DEUS. PORTANTO, EU TE ACEITO CRISTO COMO MEU SALVADOR, COMO MEU ADVOGADO. ESCREVA MEU NOME DO LIVRO DA VIDA. AMÉM.


sábado, 28 de novembro de 2015

SEGURANÇA NA IGREJA.

SEGURANÇA NA IGREJA.
Jonas dias de Souza
O grande desafio da igreja no que concerne a realização de eventos é contar com equipe especializada e pequenos orçamentos. Não falamos aqui das grandes organizações, mas das pequenas igrejas localizadas no interior ou pequeno ministério nas capitais. Esta apostila não pretende esgotar o assunto que é vasto por sua complexidade. Após a introdução ao assunto caberá aos dirigentes, obreiros e cooperadores ir estudando o assunto para capacitarem-se de modo ininterrupto.
Vivemos numa época marcada pela violência, pelo desamor e pela insensatez humana. É fato notório as notícias de roubos, furtos e até mesmo crimes contra a vida nas proximidades ou no interior de templos religiosos.





A Igreja enquanto templo físico já não infunde mais o respeito de outrora. Houve época em que durante uma guerra era possível asilar-se dentro de uma igreja. Hoje a intolerância religiosa faz dos templos alvos de ataques diversos. Não há denominação que esteja mais segura que outra: Assembleianos, Batistas, Católicos, Metodistas, todos devemos ficar atentos ao assunto segurança em templos e em eventos religiosos.
Não espere o leitor encontrar passagens bíblicas como acontece em escritos destinados ao público cristão, a finalidade é acordar para um assunto que deve ser discutido com imparcialidade, sem melindres e sem medo de cortarmos na carne.
Podemos estimar que grande parte dos templos religiosos funcione numa espécie de amadorismo. Não vamos falar aqui daquelas pequenas congregações instaladas em ambientes pequenos (garagens) que abundam o território nacional. Assim introduzido o assunto vamos adequar a experiência de mais de duas décadas militando na área de segurança pública com o desejo de que possamos adorar a Deus de forma segura.
ALGUNS CONCEITOS DE SEGURANÇA:

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O DESAFIO DO MINISTÉRIO DE JOVENS: REFLEXÕES NECESSÁRIAS





O DESAFIO DO MINISTÉRIO DE JOVENS: REFLEXÕES NECESSÁRIAS.
Jonas Dias de Souza[1]

Quando um leitor entra em contato, o coração do blogueiro se alegra. Sabemos que Deus se encarrega de velar e zelar sobre sua palavra, e quando ele permite que nossos escritos cristãos ultrapassem fronteiras e atinjam outros continentes, devemos Dar Graças.
            Esta introdução foi para informar que recebi um contato de Angola, onde um líder de Jovens pede idéias para melhorar seu ministério. Uma série de reflexões povoa a mente. O que escrever? Como falar de um ministério desafiador? Como crente sabemos que os Jovens são o nosso futuro enquanto igreja.
Comecei lembrando de quando era Chefe de Escoteiros. Uma idade muito difícil de lidar é aquela que a Tropa está saindo da adolescência e entrando na juventude. Não há (penso eu) uma idade específica para isto. Vivenciamos realidades diferentes, eu não conheço a realidade de Angola, e até mesmo no Brasil temos diferenças regionais.  Mas se tem uma pessoa que sabe de todas as coisas é o Espírito Santo. Portanto a primeira dica é ORAR  para que Ele guie as tarefas ministeriais com qualquer idade. Contudo, Orar implica em Ação. OraÇÃO. Ao tempo em que oramos procuramos estudar a realidade local.
REFLEXÃO NECESSÁRIA 1: A BÍBLIA DEVE SER O GUIA DO JOVEM.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

MODELO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA A IGREJA LOCAL







MODELO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA A IGREJA LOCAL
Jonas Dias de Souza[1]

Informação Importante Este modelo de Projeto Político Pedagógico visa auxiliar os responsáveis pela Educação Cristã na Igreja Local. Recomenda-se respeitar as realidades locais de cada congregação.
  
INTRODUÇÃO:
Quem não tem projeto, não sabe onde e como está, nem sabe onde quer ou como vai chegar. Busque a "iluminação" do Espírito e faça a sua parte! (Pastor Altair Germano)


PROPÓSITO:
A Igreja local tem que se inserir no contexto moderno de educação. Isto significa que não abriremos mão das Doutrinas Cristãs Bíblicas, mas que a Educação Cristã deve seguir o desenvolvimento educacional de forma a inserir o corpo discente e docente na atualização de mecanismos educacionais condizentes com a atualidade. Por exemplo, não se admite hoje em dia, aulas em que o aluno seja visto somente como um objeto a ser treinado. O aluno da Educação Cristã deve receber conteúdos que o permitam fazer a diferença no contexto social em que se insere, sendo como ensina a Bíblia, Luz do Mundo e sal da Terra. Neste contexto, a prática educacional cristã receberá avaliações científicas constantes que busquem aperfeiçoar o ser humano em sua perspectiva total.  A educação Bíblica não pode ser dissociada do contexto social em que estão os crentes da Igreja local. Sabemos que a igreja universal é formada por todos os salvos, mas a igreja local tem necessidades concretas que precisam ser atendidas.
FINALIDADES:
TEOLÓGICA:

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

QUAL O ANTÍDOTO PARA O ESFRIAMENTO DO AMOR NO PRESENTE SÉCULO?



QUAL O ANTÍDOTO PARA O ESFRIAMENTO DO AMOR NO PRESENTE SÉCULO?
Jonas Dias de Souza

Cumpre informar em primeiro lugar que estamos tratando do Amor Ágape. Aquele Amor fraterno que deve existir de forma imperativa entre os homens de Boa Vontade. Aliás, não temos presenciado muitas demonstrações de Boa Vontade nos últimos dias. Para o Cristão estudioso, isto não é nenhuma surpresa, pois os princípios de dores estão muito bem explícitos na Bíblia.
Podemos enumerar inúmeras causas do esfriamento do Amor. Mas, três motivos se sobressaem dentre todos.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Três objetivos da Igreja.





Três objetivos da Igreja.
Jonas Dias de Souza[1]

A Bíblia ensina que Deus dispôs a humanidade, a partir de Adão em grupos sociais. Ao criar Eva e nomeá-la adjutora, iniciou-se a família. Esta instituição que é tão combatida hoje com vários projetos de lei foi o primeiro grupo social visto na Bíblia.  A família é chamada de Mãe da sociedade , a celula mater, ou célula mãe.   A sociedade corrompida que vemos hoje é fruto de uma corrupção que atinge o seio familiar em sua origem. Famílias desestruturadas geram

domingo, 6 de setembro de 2015

Espírito, Selo e Penhor.









Espírito, Selo e Penhor.
Jonas Dias de Souza[1]
E agora, do céu, a certeza me deu,
Entrando no meu coração. 
Seu Espírito, o selo e penhor concedeu,
Vindo Ele ao meu coração. (Hino 111 da Harpa Cristã)
A estrofe que citamos pertence a um Hino Sacro denominado “Que Mudança”, conta-nos da situação do homem antes e depois de permitir que Cristo adentre no coração. Quando este homem permite que Jesus esquadrinhe o coração e ali permaneça como morador, ocorrem mudanças que são benéficas. Perda do medo do Vale da morte. Outrora perdido, agora este homem possui a certeza e a segurança da Salvação.
Mas existe ainda marcas que este homem recebe que o separa do mundo. Estas marcas não são visíveis fisicamente, mas somente no âmbito espiritual, somente com olhos espirituais é que podem ser vistas e sentidas.
Três marcas iniciais:

segunda-feira, 6 de julho de 2015

As 4 afirmações sobre a Fé encontrada no Capítulo 2 de Josué.






As 4  afirmações sobre a Fé encontrada no Capítulo 2 de Josué.
Jonas Dias de Souza[1]

       1)     A Fé vem pelo ouvir. (Josué 2.10)
Sabemos que quanto mais ouvimos a Palavra de Deus, mais aumenta a nossa Fé. Isto faz com que seja extremamente necessário o comparecimento na Congregação dos Santos, que a igreja local. Podemos por analogia compararmos a nossa vida espiritual com uma bateria de carro. Ela armazena a energia necessária para colocar o veículo em funcionamento, e através do alternador vai carregando. Quando ela fica parada ela perde carga. Quando ela fica mais velha já não consegue armazenar carga.  A vida espiritual ao contrário da bateria, porém, nunca receberá uma sobrecarga. Podemos nos encher do Espírito Santo cada vez mais, que nenhum mau nos fará o excesso.  Uma das formas deste “encher-se do Espírito” é o comparecimento nos Cultos de Adoração, de Louvor e de Doutrina, que ocorre nas várias igrejas locais. Ouvir uma explanação séria da Palavra de Deus é parte do processo

segunda-feira, 8 de junho de 2015

A relação entre o Projeto Político Pedagógico e a Igreja Cristã: Breve reflexão.




A relação entre o Projeto Político Pedagógico e a Igreja Cristã: Breve reflexão.
Jonas Dias de Souza[1]
“O PPP é para escolas seculares, qual a relação dele com a escola bíblica? Eu usei muito o material da CPAD quando era professora de escola bíblica, é muito bom.”

A pergunta acima partiu de um comentário realizado por uma leitora na página do facebook. Concordamos com a afirmação de que o material das CPAD é excelente e passamos a responder. Reconheço antes que no artigo “Como impulsionar seu Ministério?” faltou a sensibilidade deste articulista em descrever o que seria um Projeto Político Pedagógico (PPP), ocorre que o ponto de partida considerou que as pessoas envolvidas com a Educação Cristã via Escola Bíblica Dominical (EBD), já tivesse em mente a idéia do PPP.
Consertaremos esta falha discorrendo sobre o PPP. O Projeto político pedagógico objetiva identificar e definir a

domingo, 7 de junho de 2015

COMO IMPULSIONAR SEU MINISTÉRIO?



COMO IMPULSIONAR SEU MINISTÉRIO?

Jonas Dias de Souza[1]

Recentemente recebi através do Face Book um pedido de ajuda para “impulsionar um Ministério”. Tal fato motivou-me a escrever esta reflexão sobre o que é de fato um Ministério impulsionado? O que pode ser considerado um Ministério de Sucesso ou de fracasso?
Podemos dizer inicialmente que depende do pensamento do ministro. Se pensar como homem, e colocar um parâmetro secular de medida, seria um ministério que possui canais de televisão e de rádio,  uma centena de igrejas e outras inúmeras benesses avaliadas pelo presente século, bem à moda da famigerada teologia da prosperidade.
Por outro prisma, um Ministério de Sucesso aos olhos de Deus, é aquele que se dedica a anunciar as Boas Novas aos pobres, a libertar os cativos e à Evangelização levando as almas para Cristo. Para isto não interessa se é um grande ministério ou um pequeno ministério. O altar deve ser consertado para que o ministério alcance sucesso. Não canso de repetir, há dois pilares que sustentam um ministério: Oração e Palavra. Estas duas colunas, vem com algumas vigas mestras que sustentam um

segunda-feira, 1 de junho de 2015

O ESCRITÓRIO DE PSICOLOGIA DO LIVRO DE SALMOS.




O ESCRITÓRIO DE PSICOLOGIA DO LIVRO DE SALMOS.
O fato de sermos Crentes em Cristo não significa que enquanto permanecermos aqui nesta terra estaremos livres de pressões que a vida cotidiana impõe. Mormente neste mundo moderno, cheio de informações rápidas e que exigem uma digestão mais rápida ainda, sentimos toda pressão. Os problemas podem varias de pessoa para pessoa, mas acredito que a pregação que fala de uma vida cristã sem problemas não encontra respaldo na Bíblia.
Cristo ensinou que no mundo teríamos aflições, mas que a exemplo dele venceríamos o mundo. Então mesmo sendo crentes podemos adoecer? A resposta é um sonoro SIM. Temos que fazer frente às várias situações da vida em sociedade: Problemas na Escola, no trabalho, na família e na comunidade. Podemos sentir tristeza e podemos inclusive somatizar estas coisas, o que ocasiona

sábado, 11 de abril de 2015

Resposta ao Leitor: Como Fazer um esboço sobre a Amizade.








A Paz do Senhor! Gostaria que me ajudassem a formular um estudo sobre amizade. Tenho muita dificuldade em fazer esboço, gostaria de aprender. Podem me ajudar?  Atenciosamente,


Resposta ao Leitor: Como Fazer um esboço sobre a Amizade.
Jonas Dias de Souza[1]
A importância do contato com o leitor reside no fato de que recebemos idéias e trabalhamos temas que seja de interesse daqueles que acompanham o Blog. Isso posto, faremos um breve estudo sobre como FAZER UM ESBOÇO SOBRE A AMIZADE.
O princípio que deve nortear um esboço Bíblico é a Oração. Em seguida qualquer que seja o Tema de sua pregação, ela deve ter Cristo como o Centro, ou seja, toda pregação de impacto é Cristocêntrica. Não podemos pretender explanar a Palavra de Deus, sem que

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Carta a um irmão desigrejado.




Amado Irmão!
A Paz do Senhor Jesus cristo.
Caríssimo irmão temos notado a sua ausência nos Cultos de Adoração a Deus em nossa Igreja.  Estamos com saudade dos Hinos que entoava e tão alegre nos ensinava. Ou das muitas vezes que testemunhava e contava as ações de Deus em sua vida e em sua família.
Na Escola Bíblica Dominical sentimos falta de suas opiniões sensatas e ponderadas a respeito dos temas Bíblicos. Bem verdade que possuímos nossas falhas como irmãos, mas temos uma saudade respeitosa. Será que

sábado, 4 de abril de 2015

CRISTÃO PREOCUPADO? SETE RAZÕES PARA QUE NÃO NOS PREOCUPEMOS.







CRISTÃO PREOCUPADO? SETE RAZÕES PARA QUE NÃO NOS PREOCUPEMOS.
Jonas Dias de Souza[1]
“Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?
E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.”  (Mateus 6.25-34)

Ansiedade! O mal do milênio. Correria...Prazo a ser cumprido...Tarefas...Trabalhos escolares e outras séries de ocupações que a vida moderna impõe ao homem. Com o crente em Cristo não é diferente. Não existe cristianismo sem

sexta-feira, 3 de abril de 2015

O PODER DA PALAVRA DE DEUS EM NOSSAS VIDAS: O QUE DEVEMOS FAZER ?






O PODER DA PALAVRA DE DEUS EM NOSSAS VIDAS: O QUE DEVEMOS FAZER?
Jonas Dias de Souza[1]
As Sagradas Escrituras são conhecidas normalmente como A PALAVRA.  É comum nos referirmos ao contido na Bíblia (seja no Antigo Testamento ou Novo Testamento) como A PALAVRA.  Então a palavra alimenta o espírito. Consola a alma. Quando nos congregamos em Louvor e adoração a Deus, nos cultos dominicais, ou ainda, quando nas Escolas Bíblicas, nos dedicamos a ouvir a palavra, estamos propiciando o alimento que nos mantém espiritualmente aptos a continuar a nossa santificação progressiva. Por isto, o pregador que desvirtua a palavra, moldando-a e não sendo moldado por ela, comete uma espécie de adultério espiritual. O pior é que ainda levam consigo ovelhas, expulsando-as do aprisco.
Quais são os poderes da Palavra?

terça-feira, 24 de março de 2015

NÃO EXISTE EQUIPE DE UMA PESSOA SÓ: DEUS DÁ DIFERENTES MINISTÉRIOS A PESSOAS DIFERENTES.





NÃO EXISTE EQUIPE DE UMA PESSOA SÓ: DEUS DÁ DIFERENTES MINISTÉRIOS A PESSOAS DIFERENTES.
Jonas Dias de Souza[1]
Temos tido notícias de Pastores cansados. Dirigentes de departamentos à beira de um ataque de nervos. O que há de errado com estas pessoas?
__Trabalham muito em prol da obra de Deus.
     Afirmam alguns.
__ São muito diligentes. Ouvimos de outros.
Mas detectamos um erro básico neste tipo de liderança. A pessoa que não divide suas tarefas lidera de forma equivocada. Ou melhor, não lidera. Comanda. Liderar é diferente de

domingo, 22 de março de 2015

O que Jesus ensinou aos discípulos no caminho de Emaús?






O que Jesus ensinou aos discípulos no caminho de Emaús?
Jonas Dias de Souza[1]
               
Nós temos no Livro de Lucas (o 3º Evangelho) a passagem em que Jesus ressuscitado aparece a dois de seus discípulos que seguiam de Jerusalém para Emaús.  Estes dois aprendizes iam conversando entre si sobre as coisas que haviam se sucedido. Sabemos que foram dias frenéticos, de grande agitação, em que houve a prisão e a crucificação de Jesus. Os discípulos se dispersaram, e estes dois concentraram-se em suas decepções e em seus problemas, desejosos de voltar  para a segurança da aldeia.
  E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús. E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles.

domingo, 15 de março de 2015

AS TRÊS CATEGORIAS DE LEIS EXISTENTES NO ANTIGO TESTAMENTO.



AS TRÊS CATEGORIAS DE LEIS EXISTENTES NO ANTIGO TESTAMENTO.
Jonas Dias de Souza[1]
                Antes da morte de Cristo na Cruz as pessoas estavam obrigadas a cumprir a lei. Na atual dispensação, estamos sob o Governo da Graça, mas isto de maneira alguma implica em não termos responsabilidades. Uma interpretação equivocada pode gerar num falso cristianismo. Principalmente com relação às afirmações Paulinas, certas pessoas tendem a entender que a lei não se aplica à igreja gentílica. Não é isto, determinadas leis do Antigo Testamento ainda governam as atitudes dos verdadeiros crentes (discípulos) em Cristo. Exemplo, são os mandamentos, não foram abolidos.
                Contudo, o foco do escrito é aprender sobre os três tipos ou categorias de leis existentes no Antigo Testamento.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

SETE OBSTÁCULOS PARA AS NOSSAS ORAÇÕES.






SETE OBSTÁCULOS PARA AS NOSSAS ORAÇÕES.
Jonas Dias de Souza[1]
                Sabemos muito bem que sem oração não vencemos as dificuldades apresentadas pela vida. Contudo, ouvimos muitos relatos de que há orações sem resultados. Pessoas que se dizem cansadas de orar, porque não encontram um motivo salutar ou um resultado. Primeiramente temos a dizer que o principal resultado da Oração é a aproximação que sentimos de Deus. Há quem diga que “o telefone toca daqui pra lá”, ou seja, se não nos colocamos em atitude de oração não abrimos o nosso espírito para ouvir o que Deus tem a os dizer.
                Mas não é suficiente somente falarmos e assim pensarmos que estamos orando. Orar requer algumas providências internas que muitas vezes negligenciamos. Esta negligência torna-se um obstáculo. Obstáculo que se no início dificulta com o tempo impede e como resultado tem-se o cessar completo da oração. A oração é uma petição que fazemos a Deus para que Ele interceda em um assunto sobre o qual temos interesse. Por exemplo, para que a saúde de uma pessoa que nos é próxima seja restabelecida. Não existe isto de oração poderosa feita em tais ou tais dias da semana, o de tal ou tal maneira. Assim como a oração no monte não é mais forte do que aquela realiza à beira do leito de um hospital, ou de joelhos na congregação. A condição da oração tem mais a ver com o aspecto interior do homem com o aspecto do ambiente. Não adianta subir o mais alto monte para orar e levar consigo um coração cheio de mágoas e ressentimentos porque almeja uma posição na igreja e ainda não alcançou. Ou ainda, achar que é mais justo do que os outros porque está no monte debaixo de uma chuva orando enquanto a igreja segue com seu culto normal. Estas condições internas se transformam em obstáculos que devem ser vencidos com a Judá do Espírito Santo de Deus. Se Tiago disse que a oração de um justo pode muito, a justiça só pode ser alcançada pela santificação que nos proporciona a vivência cristã em sua essência.
                Isto posto, relacionamos sete obstáculos que impedem nossas orações de resultar no efeito que desejamos.  Aliás, o principal elemento da oração é que ela deve ser para satisfazer a vontade de Deus em primeiro lugar. Oramos por nossas necessidades. Mas É Deus que em sua infinita sabedoria nos concede ou não aquilo que pedimos. A Bíblia diz que às vezes pedimos mal (para usarmos em nossos deleites) por isto não recebemos.
        1)      UM CORAÇÃO CHEIO DE INIQUIDADES.

VINHO VERSUS ESPÍRITO: O CONTRASTE ENTRE O HOMEM CARNAL E O HOMEM ESPIRITUAL.







VINHO VERSUS ESPÍRITO: O CONTRASTE ENTRE O HOMEM CARNAL E O HOMEM ESPIRITUAL.
                Jonas Dias de Souza[1]
            Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais. (Efésios 5. 15-19)

Há quem diga que a religião é um entorpecente de mentes humanas. De fato estas pessoas estão com razão, quando lembramos que existe uma série de exploradores que hoje em dia, exploram a fé alheia, através de doutrinas espúrias e anti-bíblicas.  Há que se alertar para o fato de que os exploradores existem com permissão dos explorados. É isto mesmo. Só existem exploradores pelo fato de que existem pessoas que em sua preguiça intelectual, não lêem a Bíblia para descobrir o que é lícito ou o que não convém. Aproveitando-se desta preguiça, pessoas criam doutrinas espúrias, sempre ligadas à recompensa financeira, e prosperam a si mesmas. Quanto ao rebanho, sempre existe mais pessoas que

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

DEUS NÃO TEM RESPONSABILIDADE COM A MINHA IRRESPONSABILIDADE.








DEUS NÃO TEM RESPONSABILIDADE COM A MINHA IRRESPONSABILIDADE.
Jonas Dias de Souza[1]
               
                A placa diz 80 km/h, mas o acelerador é firmemente pressionado. O carro alcança 100 Km/h... 120 Km/h... 160 Km/h. Então de repente surge um obstáculo. A lei da física é clara: “Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço”. Ocorre um Choque mecânico. As forças da massa do veículo são colocadas agora sobre a massa do corpo humano. Houve uma escolha deliberada do motorista em acelerar. Ocorre que quando ele se habilitou a dirigir aprendeu que não se pode negligenciar a sinalização. E aí? Culpa de Deus? E quanto aos passageiros que foram coniventes com a irresponsabilidade?
            Poderíamos enumerar uma série

domingo, 1 de fevereiro de 2015

CONSIDERAÇÕES SOBRE A SALVAÇÃO.








CONSIDERAÇÕES SOBRE A SALVAÇÃO.
Jonas Dias de Souza[1]

A premissa maior da crença cristã é o resgate (salvação) ou propiciação que Jesus proporcionou aos pecadores com seu sacrifício na cruz no Gólgota.  Salvação e ressurreição são assim os pilares sobre os quais se sustentam a Fé em Deus (o Grande Eu Sou) e em seu filho Jesus Cristo, e no Espírito Santo. Enquanto crentes em Cristo precisamos compreender o processo de salvação. Deve existir um quê de razão acompanhando a nossa fé. Um dos pais da Igreja, Agostinho de Hipona (Teólogo Latino 354-430), disse que devemos compreender para crer e crer para compreender.  Refletindo nesta afirmação Agostiniana, entendemos o motivo de haver tantos exploradores da Fé alheia. Muitos querem crer, mas possuem uma preguiça intelectual que os impede de ler a Bíblia. Se estudassem a Sã Doutrina em uma igreja séria e comprometida com a verdade, não seriam explorados. Mas uma infinidade de pessoas preferem

sábado, 17 de janeiro de 2015

UMA ADVERTÊNCIA PARA A SOCIEDADE MODERNA

UMA ADVERTÊNCIA PARA A SOCIEDADE MODERNA.
Jonas Dias de Souza[1]
A sociedade moderna tem pregado uma liberdade sexual que é incompatível com a natureza do crente em cristo. Devemos reformular este dizer. É incompatível com aquele que pratica a palavra do Deus verdadeiro e que é discípulo de Jesus. Isto porque, crer, o diabo também crê.
Principalmente no campo da sexualidade. Tradicionalmente e culturalmente não conversamos sobre sexo com os pais. Raros são os casos em que ocorre uma conversa franca e responsável. Infelizmente a educação sexual, assim como outras que deveriam ser de prioridade da família estão sendo delegadas para a escola. Por sua vez, a escola está tão sobrecarregada que não consegue educar a contento a juventude. A este respeito, há quem pense que a escola é para ministrar conteúdo que prepare para a vida no mercado de trabalho e que a educação ética deve ficar a cargo exclusivo da família.
A questão que nasce é sobre