segunda-feira, 24 de novembro de 2014

DOUTRINA VERSUS COSTUME: O DESAFIO DA IGREJA.


DOUTRINA VERSUS COSTUME: O DESAFIO DA IGREJA.
Jonas Dias de Souza[1]
É comum ouvirmos estas palavras nas igrejas, lamentavelmente de forma acusatória entre denominações. Por isto precisamos quebrar o tabu e de fato levantarmos discussões sobre o assunto. A finalidade de conversarmos sobre doutrinas e costumes é para que o povo de Deus não sofra por causa da falta de esclarecimento e em conseqüência fique à mercê de falsos pastores. Que por sua vez também não sabem o que é a sã doutrina, portanto, lançam para os membros das igrejas as doutrinas doentes e falsas.
Ocorre que não há como falar em doutrina sem termos cultos de doutrinas. Reside aí a grande dificuldade dos pastores na atualidade. O culto de doutrina é sinônimo de igrejas vazias.  Fazendo um paralelo com a cultura alimentícia, o culto de doutrina é aquela comida saudável, rejeitada por muitos. Os cultos de “reteté” são a comida “Fast food” engolida rapidamente, de satisfação imediata, mas que depositam em nossos organismos substâncias tóxicas.
Qual a solução? Renomear os cultos? Não vejo por aí. Mas sim esclarecer a sutil diferença entre doutrinas e costumes. Obviamente não nos consideramos unanimidade no assunto. Podemos até parodiar o escritor secular Nelson Rodrigues quando afirmou que toda unanimidade vem com uma burrice implícita. E de fato, se não há mentalidades discordantes, algo está errado. Mas isto se refere quanto aos costumes. Doutrina Bíblica não aceita discórdia. Porque a Palavra de Deus não nos dá esta flexibilidade de aceitá-la ou não. A Palavra de Deus requer
obediência.
Vemos que não é um assunto fácil. É preciso fazer o salutar exercício de ouvir o outro. Em contrapartida devemos também ser ouvido.
DOUTRINA:
Doutrina dentro do conceito de religião é o conjunto de crenças, dogmas, é um catecismo. No que pese o sentido que alguns evangélicos colocam na palavra (catecismo) por causa de sua ligação com o Romanismo. Mas quando, colocamos nossos jovens para aprender as Doutrinas Fundamentais de nossa Fé, estamos na prática catequizando os nosso jovens.
Catecismo segundo Houaiss:
1     conjunto de instruções sobre os princípios, dogmas e preceitos de doutrina religiosa, esp. a cristã
2     Derivação: por metonímia.
livro que contém essas instruções, expostas em perguntas e respostas
3     Derivação: por metonímia.
reunião ou sessão em que se ministram essas instruções
4     Derivação: por extensão de sentido.
conjunto de instruções elementares sobre qualquer ciência, arte, doutrina etc.
5     Derivação: sentido figurado.
aquilo que, para alguém, é objeto de inabalável crença
Ex.: ele vive repetindo seu c. marxista

Dentro das denominações chamadas de evangélicas, é costume estudarmos sobre o Catecismo de Westminster. Doutrina é assim o “Conjunto de ensinamentos religiosos”.

“Não faltará, nem será quebrantado, até que ponha na terra o juízo; e as ilhas aguardarão a sua doutrina.” (Isaías 42.4)

O capítulo 42 de Isaías ensina uma das doutrinas fundamentais do Crente. Deus não dá a sua Glória para ninguém. Quando prosseguimos na leitura de Isaías, aprendemos que uma doutrina do Povo que é denominado de evangélico, ou crentes, ou pentecostais, é não concordância com o culto às imagens de esculturas, baseado na Bíblia: “Eu sou o SENHOR; este é meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de esculturas.” (Isaías 42.8).  O capítulo 42 de Isaías, nos mostra muitos antes, a missão do Messias.   Uma parte de nossa doutrina é que estamos num segundo êxodo, rumo a Canaã celestial. E Cristo cumpre aqui e agora o papel de guia e libertador do povo que está em peregrinação por esta terra. Faz parte de nossa doutrina vermos Cristo como nosso único, legítimo e suficiente, Salvador.
Ao contrário dos mestres Judeus que se apoiavam nas palavras de homens famosos da época, nós escudamo-nos nas Palavras de Jesus, como doutrina para a Igreja. “E maravilharam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade e não como os escribas.” (Marcos 1.22)  
Doutrina é um ensinamento do Conjunto de Doutrinas. A Bíblia que é a regra de Fé do Cristão é um Conjunto de Doutrinas: Doutrina da Salvação, do pecado, do Espírito Santo. Portanto Culto de Doutrina e de Ensino são sinônimos.

COSTUMES:
O costume se liga aos hábitos que o indivíduo mantém, e que pode tanto ser natural, quanto influência da sociedade e do meio em que vive. Ora, se concordamos que costume é hábito e que pode ser influência do meio social, teremos bons costumes e maus costumes. O meio social saudável incutirá no indivíduo (que assim permitir) os bons costumes.
Costume segundo Houaiss:
1     hábito, prática frequente, regular
Ex.: tem o c. de caminhar ao fim do dia
2     modo de pensar e agir característico de pessoa ou grupo social(mais us. no pl.)
Ex.: o jornal faz uma crítica de costumes
3     moda, indumentária adotada em determinada época por um grupo relativamente representativo de pessoas
Ex.: a atualidade inventou o c. da minissaia

A doutrina romanista aceita o costume de realizar as procissões com suas imagens representativas de pessoas que para eles são exemplo de virtudes. Por seu turno, os evangélicos não concordam com estas procissões e nem com imagens em suas igrejas, porque a Bíblia Sagrada, ensina que tais costumes são errôneos e proibidos.
Para esclarecer citamos o profeta Jeremias:
“Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais dos céus; porque com eles se atemorizam as nações. Porque os costumes dos povos são vaidade: pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado. Com prata e ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova. São como a palmeira, obra torneada, mas não podem falar, necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar; não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, nem tampouco  têm o poder de fazer  bem.” (Jeremias 10.1-5)
Paulo em atos foi acusado de expor costumes contrários para aqueles que se julgavam Romanos. Veja Atos 16.21
REFLEXÃO:
Quando a igreja é invadida por costumes que não guardam relação com a doutrina que ela prega, é sinal de alerta.








[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.