segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A DOXOLOGIA COMO MARCA DO CRENTE PENTECOSTAL.



A DOXOLOGIA COMO MARCA DO CRENTE PENTECOSTAL.
Jonas Dias de Souza[1]
            A primeira vez que uma pessoa desacostumada com o costume pentecostal entra em uma igreja, ela estranha, e estranha muito, o que podemos chamar de “jeito efusivo de expressar-se doxologicamente”. São tantos “Glória a Deus”, e “Aleluias” e ditos de forma audível, que pode assustar.
            Em parte pelo desconhecimento do que vem a ser a Doxologia. Vejamos algumas passagens bíblicas que ilustram o que é na verdade “uma expressão de louvor a Deus”.
No Antigo Testamento temos:

“Ó Deus, tu és tremendo desde os teus santuários; o Deus de Israel é o que dá fortaleza e poder ao seu povo. Bendito seja Deus!” (Salmo 68.35)
O fato de que Deus se importa o crente, e a iluminação do Espírito Santo é que o fazendo justificado e ajudando-lhe no processo de santificação, permite que entre as pregações, hinos e testemunhos saiam um efusivo “Glória a Deus”.
“Bendito seja o SENHOR Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas. E bendito seja para sempre o seu nome glorioso; e encha-se toda terra da sua glória! Amém e amém!” (Salmo 72. 18-19)
No entanto, vale lembrar o conselho de Paulo, para que o culto seja com ordem e disciplina. Não é proibido expressarmos a felicidade que sentimos pela salvação. Mas imaginemos uma interrupção do desenvolvimento de um assunto pelo pregador. O que podemos dizer, é que, no culto racional há espaço para as expressões doxológicas, mas há espaço também para respeitarmos o contexto cultural daquele momento, que é o de pregação da Palavra de Deus, o momento mais solene do culto. A tranqüilidade reside no fato de que a direção do Espírito Santo se encarrega de nos mostrar o momento de expressarmos a nossa gratidão. 
No Novo Testamento:
“E as multidões, tanto as que iam adiante como as que o seguiam, clamavam dizendo: Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!” (Mateus 21.9) Quando aprofundamos nosso estudo vemos que “Hosana” era anteriormente, um pedido de socorro, e que foi se transformando numa exclamação de louvor.
“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda consolação.” (2 Coríntios 1.3) Quando fazemos uma reflexão sobre este versículo vemos que o Deus que servimos (o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó), é um deus consolador, e como tal, nos momentos de adoração o alívio brota nos lábios em forma de gratidão ou seja a doxologia.
“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo.” (Efésios 1.3)
“Bendito seja o Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, que segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos,” ( 1 Pedro 1.3)
Aprendemos que “Bendito” é uma expressão doxológica. Portanto, não é de se estranhar quando em meio a um culto numa Igreja Pentecostal, se ouça um “Bendito Seja Deus!”, vindo de algum lugar da igreja.
Assim, ocorre também, com a expressão “Glória”.  “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!” (Lucas 2,14). Temos na Harpa Cristã (Hinário utilizado nas Assembleias de Deus) muitos hinos com expressões doxológicas. Assim como no cantor Cristão (utilizado nas Igrejas Batistas). Dar glória é expressão de gratidão, louvor, e exaltação a Deus.
“Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém! (Romanos 11.36)
“Em uma análise final, todos somos totalmente dependentes de Deus. Ele é a fonte de todas coisas. Ele é o poder que sustenta e governa o mundo em que vivemos e criou tudo para a expressão da sua glória. O Deus Todo-poderoso merece o nosso louvor.” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal., 2003)
“Ora ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus seja honra e glória para todo o sempre. Amém!” (1 Timóteo 1.17) Esta expressão de doxologia Paulina deve servir de exemplo para nós. Não devemos nos intimidar e termos vergonhas de nosso pentecostalismo. Pelo contrário devemos expressar-nos doxologicamente com Glórias. Com améns. Com Bendito seja Deus. Pois esta é uma das marca dos pentecostais e principalmente dos assembleianos.
Por isto damos glória. Por isto glorificamos. Isto é louvar.
Amém.
Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. (2003). São Paulo.
Zimmer, W. K. Dicionário da Bíblia de Almeida. SBB.









[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.