quinta-feira, 27 de novembro de 2014

AMIZADE, AMOR E CONFORMIDADE: O PERIGO GRADATIVO DO MUNDO NA VIDA DO CRENTE.




AMIZADE, AMOR E CONFORMIDADE: O PERIGO GRADATIVO DO MUNDO NA VIDA DO CRENTE.
Jonas Dias de Souza[1]

“Retirai-vos, retirai-vos, saí daí, não toqueis coisa imunda; saí do meio dela, purificai-vos, vós que levais os utensílios do SENHOR.” (Isaías 52:11)
Que o Cristão não pode ter comunhão com o mundo, é ensinado nas igrejas que conservam a sã doutrina. Mas, uma análise, sempre é necessário, como forma de precavermo-nos e como forma de exortação. Exortação, ao contrário do que pensam alguns, não consiste em xingar. Exortar é admoestar de forma sábia (do ponto de vista bíblico) com vistas a prevenir a quebra da disciplina eclesiástica, ou a restaurar esta disciplina. Que pode ser coletiva ou individual. Assim é que o pastor que de fato preocupa-se com seu rebanho, e o ensina conforme a bíblia sagrada, ou seja, a esta não acrescenta seu pensamentos e filosofias, exorta-s a que observem e tomem cuidado com o mundo e o que nele há.
Quando lidamos com os jovens, a coisa fica mais difícil. O caráter contestador e natural da juventude, aliado a uma cobrança social daqueles jovens que não pertencem ao meio Cristão, torna a situação mais delicada. Não é fácil ser jovem.  É  um período de descobertas, e escolhas que não esperam. Ou seja, elas têm que ser realizadas. Desde o curso universitário, ao primeiro amor.  A pressão para que o jovem arrume um namorado existe. Por vezes de forma velada. Se o rapaz não quer namorar, dão logo um jeito de discriminá-lo.
Mas aos jovens, e a comunidade evangélica, fica um alerta: É UM PERÍODO QUE NECESSITA DE INTENSA ORAÇÃO E VIGILÂNCIA.
 A sutileza do espírito do mundo reside no fato de que ele vem calçado com sapatinhos de algodão. Seja em sua forma cultural. Ou no relativismo moral que impera hoje em nossa sociedade. A separação do Povo de Deus pode ser vista desde o Antigo Testamento, quando o povo Israelita foi separado. Contudo, este mesmo povo entristeceu a Deus, pois não observou a posição que lhe era privilegiada. O povo Israelita sempre voltava para o mundo. Trocava a Glória (a Shekinah) de Deus por idolatrias e cultos pagãos. Veja o Bezerro de ouro que fizeram no deserto e leiam o Livro de Juízes. No livro de Juízes, o que mais se lê é : “Então fizeram os filhos de Israel o que parecia mal aos olhos do SENHOR...”
Quando falamos da sutileza do mundo, é porque a invasão dele na igreja, não acontece de uma só vez.  Ela ocorre de forma gradativa. Gradativo é aquilo que vai aumentando, ou diminuindo aos poucos. No caso da tolerância às coisas mundanas e as falsas doutrinas, vão aumentando aos poucos. No caso da vontade de orar, jejuar e consagrar,  vão diminuindo aos poucos. Assim ocorre a tomada de terreno. É algo planejado para anos ou décadas.
Atenção!

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A DOXOLOGIA COMO MARCA DO CRENTE PENTECOSTAL.



A DOXOLOGIA COMO MARCA DO CRENTE PENTECOSTAL.
Jonas Dias de Souza[1]
            A primeira vez que uma pessoa desacostumada com o costume pentecostal entra em uma igreja, ela estranha, e estranha muito, o que podemos chamar de “jeito efusivo de expressar-se doxologicamente”. São tantos “Glória a Deus”, e “Aleluias” e ditos de forma audível, que pode assustar.
            Em parte pelo desconhecimento do que vem a ser a Doxologia. Vejamos algumas passagens bíblicas que ilustram o que é na verdade “uma expressão de louvor a Deus”.
No Antigo Testamento temos:

DOUTRINA VERSUS COSTUME: O DESAFIO DA IGREJA.


DOUTRINA VERSUS COSTUME: O DESAFIO DA IGREJA.
Jonas Dias de Souza[1]
É comum ouvirmos estas palavras nas igrejas, lamentavelmente de forma acusatória entre denominações. Por isto precisamos quebrar o tabu e de fato levantarmos discussões sobre o assunto. A finalidade de conversarmos sobre doutrinas e costumes é para que o povo de Deus não sofra por causa da falta de esclarecimento e em conseqüência fique à mercê de falsos pastores. Que por sua vez também não sabem o que é a sã doutrina, portanto, lançam para os membros das igrejas as doutrinas doentes e falsas.
Ocorre que não há como falar em doutrina sem termos cultos de doutrinas. Reside aí a grande dificuldade dos pastores na atualidade. O culto de doutrina é sinônimo de igrejas vazias.  Fazendo um paralelo com a cultura alimentícia, o culto de doutrina é aquela comida saudável, rejeitada por muitos. Os cultos de “reteté” são a comida “Fast food” engolida rapidamente, de satisfação imediata, mas que depositam em nossos organismos substâncias tóxicas.
Qual a solução? Renomear os cultos? Não vejo por aí. Mas sim esclarecer a sutil diferença entre doutrinas e costumes. Obviamente não nos consideramos unanimidade no assunto. Podemos até parodiar o escritor secular Nelson Rodrigues quando afirmou que toda unanimidade vem com uma burrice implícita. E de fato, se não há mentalidades discordantes, algo está errado. Mas isto se refere quanto aos costumes. Doutrina Bíblica não aceita discórdia. Porque a Palavra de Deus não nos dá esta flexibilidade de aceitá-la ou não. A Palavra de Deus requer

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

A PERFEIÇÃO DA DIREÇÃO DIVINA.



A PERFEIÇÃO DA DIREÇÃO DIVINA.
Jonas Dias de Souza[1]
            Quando verificamos no mapa a distância que separava o Egito, da terra prometida aos Israelitas, podemos nos perguntar, o motivo de uma peregrinação por cerca de quarenta anos no deserto. Havia uma rota mais curta, mas quando Deus coloca os Israelitas numa rota mais longa ele os livra no primeiro momento de guarnições egípcias e filisteias. Ao considerarmos que estavam recém saídos de uma condição de escravos, vemos que ainda lhes faltava a consciência de liberdade. Não possuíam ainda uma mente preparada para o combate.
            Neste sentido, o deserto propiciou lhes criar a consciência de nação, forjando-lhes um físico revigorado e um espírito livre.  Vemos com isto que Deus não trabalha da maneira que julgamos melhor, mas da maneira dele. Quando aplicamos isto à nossa vida, vemos que se Deus não nos leva pelo caminho mais curto ao nosso objetivo, é porque ele pretende nos forjar e nos preparar para as situações que enfrentaremos quando lá chegarmos. Não devemos resistir, mas seguir a Deus com disposição e confiante que Ele nos guiará com perfeita direção através dos obstáculos invisíveis.
 Mas isto de fato acontece ainda hoje?  A resposta é um sonoro SIM!
Quando somo recém convertidos temos uma vontade enorme de assumirmos um trabalho na Seara, mas, precisamos ser antes de tudo aprovados. Provados e aprovados, para que não soçobremos aos ataques de céticos, ateus, e descrentes do evangelho. Ou simplesmente aos ataques por inveja. É por isto que se aplica a metáfora do passar pelo deserto, como metáfora das dificuldades que passamos no inicio do caminhar de nossa fé ou na assunção de uma tarefa evangelizadora. Para os Israelitas no deserto, Deus proveu durante o dia uma nuvem, e à noite uma coluna de fogo. Para nós, Deus providenciou a Bíblia.
“Assim como os Hebreus olhavam para aquelas colunas, também podemos ler a Palavra de deus de dia e de noite para sabermos que Ele está conosco e nos ajuda em nossa jornada.” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal., 2003)
A Bíblia lida sob a direção do Espírito Santo de Deus, em reverência e oração, é uma Teofania. Do ponto de vista que uma teofania é a manifestação visível de Deus.
Deus pode se manifestar de várias maneiras:

terça-feira, 11 de novembro de 2014

É NOSSO DEVER SERMOS ATALAIA.




É NOSSO DEVER SERMOS ATALAIA.
Jonas Dias de Souza[1]

      A função mais desacreditada na atualidade é sem dúvida a de Pastor. Considerando o número de escândalos que tem assolado esta categoria, somente o fato de pensar na possibilidade de se tornar um coloca receios no coração de qualquer crente sincero.
Mas não podemos nos furtar ao chamado que Deus tem preparado. O crente ao sentir que foi despertado para esta nobre missão, deve se entregar á vestimenta da armadura do Cristão e preparar-se para a luta. Quando a vocação desponta não é possível falarmos em adiamento. Adiar a obediência significa em almas perdidas e vitórias do mal, sobre este mundo. Aquele crente que é separado para ministro da Igreja de deus pode esperar – sem sombras de dúvida- uma oposição ferrenha. Quanto mais fidelidade mostrar para a sua vocação, mais perseguição verá colocada em seu trajeto. Isto não pode desanimar o servo de Deus, pelo contrário deve animá-lo a entrar logo em combate. Fazendo uma comparação, é como o combatente que ouve pelo radiotransmissor os detalhes da batalha e sente comichão e ansiedade parta desembarcar no teatro de operações.
Se a função de pastor está

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

RESPONDENDO AO LEITOR: O SALVO PODE PERDER A SALVAÇÃO? HÁ DIFERENÇAS DE PECADO? O QUE É GALARDÃO?



RESPONDENDO AO LEITOR: O SALVO PODE PERDER A SALVAÇÃO? HÁ DIFERENÇAS DE PECADO? O QUE É GALARDÃO?
Jonas Dias de Souza[1]


Em contato com o blog um leitor expõe sua dúvida sobre uma série de temas.

“Caro Irmão Jonas,

Estou com uma dúvida, na EBD escutei que  "UMA VEZ SALVO, SALVO PARA SEMPRE". Questionei e o Pastor veio tirar minha dúvida baseado nas passagens abaixo:

"E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé." (Romanos 13.11)

"Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação." (Hebreus 9.28)

"Que mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo," (1ª Pedro 1.15).

"E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão."(João 10.28) 
   
"Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8.39)

Pecado para a morte e pecados para não morte. Seria com pecadinho e pecadão? Perda de Galardão seria como ter uma patente e ser superior aos outros?

Não seriamos todos iguais perante Cristo para habitar um novo Céu e uma nova terra?

Busquei na Bíblia o que precisamos para sermos salvos e encontrei essas passagens.

(João 15.1,2,6; 2ª Pedro 2.20,21; 1ª Coríntios 4.4; Romanos 11.20-22 ;1ª Coríntios 9.27; Hebreus 4.1; Gálatas 6.9; 1ªCoríntios 10.12; Tiago 2.17; Apocalipse 3.11; Mateus 24.13; Hebreus 10.26-27; 2ª Pedro 2.20-21 ;Êxodo 32.33; Apocalipse 3.5; Ezequiel 18.21-24; 2ª Timóteo. 4.7; Ezequiel 33.12, 18,19; Mateus. 19,16 e 17; 1ª Coríntios 10.12; Hebreus 3.14; Filipenses 3.11-14;  1ª Coríntios 15.1-2)

Essa duas últimas passagens acredito que diz tudo.

A Bíblia não se contradiz, será que um ponto da bíblia pode se sobrepor sobre o outro?

Não acho justo um crente dedicado ser comparado a outro que não leva uma vida cristã como deveria.

Obrigado.”