quarta-feira, 15 de outubro de 2014

É POSSÍVEL UMA FILOSOFIA CRISTÃ? (Parte II)




É POSSÍVEL UMA FILOSOFIA CRISTÃ? (Parte II)
Jonas Dias de Souza

Anteriormente vimos que o Apóstolo Paulo debateu com os Gregos realizando uma defesa do Cristianismo.
Defendemos que o que aconteceu foi uma discussão filosófica, porque, entendemos que não havia naquele momento uma Teologia propriamente dita. Falamos da Preguiça Intelectual e da necessidade do homem alcançar uma maioridade em termos de pensamentos.
Seguindo nossa proposta vejamos o que é Teologia.

            O QUE É TEOLOGIA?
                        A Teologia é o ramo do saber que se ocupa do Estudo de Deus. Vamos tratar especificamente da Teologia Cristã, para nos mantermos fiéis a linha Apologética Cristã, que é a proposta do nosso Blog.
            O conceito de Teologia existe desde Os Pré-Socráticos, mas o termo aparece em Platão. Platão interpreta os Mitos, sob uma ótica crítica da Filosofia. Por sua vez Aristóteles, se referia aos poetas Hesíodo e Homero como Teólogos. No alvorecer da Idade Média, o termo passa a fazer parte do vocabulário Cristão como um saber sobre Deus.
            Bem mais tarde, Hegel trata a teologia como
sendo o estudo das manifestações sócio-culturais sobre as divindades. Diante da impossibilidade de estudar diretamente a pessoa de Deus, o estudo se concentra na representação deste ser divino nas culturas.
Por isto afirmamos que seguiremos uma definição de Teologia com vistas a realizar uma apologética Cristã. Considerando que existem várias teologias: Hindu, Judaica, Budista, Islâmica, e atualmente uma Teologia que estuda os cultos afros, como a teologia da umbanda.
Dentro da teologia denominada cristã, temos: católica-romana, protestante, mórmon.
Doravante ao usarmos o termo teologia, estaremos nos referindo a teologia que busca aprimorar o relacionamento do homem com o Deus contido na Bíblia Sagrada, utilizada pelos seguidores de Cristo.  Chamados de Evangélicos por alguns e Crentes por outros. Embora na modernidade, estes termos carreguem um sentido pejorativo por causa de lobos que se infiltraram no rebanho e por causa dos falsos mestres. Enfim, uma teologia dos seguidores de Cristo Jesus, e do Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. O GRANDE EU SOU,  dado a conhecer a Moisés.
Como forma de esclarecimento citamos:
A palavra “teologia” vem de duas palavras gregas que significam o “estudo de Deus”. Teologia cristã é apenas uma tentativa de entender Deus como revelado na Bíblia. Nenhuma teologia vai completamente explicar a Deus e Seus caminhos porque Deus é infinitivamente e eternamente maior do que somos. Portanto, qualquer tentativa de descrevê-lo por completo vai falhar (Romanos 11:33-36). No entanto, Deus quer que O conheçamos o máximo possível, e teologia é a arte e ciência de conhecer e entender o que podemos sobre Deus de uma forma organizada e compreensível. Muitas pessoas tentam evitar teologia porque acreditam que teologia traz discórdia. No entanto, quando compreendida de forma adequada, teologia une as pessoas. Teologia é organizar os ensinos da Palavra de Deus de uma forma compreensível. Teologia bíblica e própria é uma coisa boa; ela é os ensinos da Palavra de Deus (2 Timóteo 3:16-17).[1]
A teologia se ocupa dos fatos que dizem respeito a relação existente entre Deus e o Universo. O universo é  o conjunto da criação de Deus. Deus se relaciona com a sua criação, e a mente humana possui capacidade de compreender e conhecer a Deus, porque Ele deixou provisões para que isto aconteça. Ocorre que isto é objeto da Fé.

Podemos discorrer outra hora sobre a Fé Natural e a Fé Espiritual. Sobre a fé natural é aquela que nos faz entrar em um trem interestadual e nem sequer vermos o maquinista, e ainda assim viajarmos tranqüilos. Esta é a fé natural. Exercitamo-na sem darmos conta. É desta forma que a teologia, sendo produto da razão, inclui a fé, que é a possibilidade de conhecer a Deus. Doutrinariamente, é quando falamos em legalismo exacerbado, e espiritualismo exagerado. A letra mata e o Espírito vivifica. Devemos estudar a teologia, auxiliados pela fé centrada na ajuda do alto, por meio do paráclito.

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem.” (Hebreus 11.1)

A fé é um conhecimento que se sobrepõe à razão (no estudo teológico) porque integra conjuga o intelecto e o amor de Deus. A razão está se divorciando do coração. A mente humana diz, não posso conhecer a Deus. E ela está certa. Certíssima. Em contrapartida, a Bíblia fala a mesma coisa. Ou seja, Deus com sua onisciência antecipou-se às conclusões humanas.

“Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (1 Coríntios 2:14)

(Continua...)









[1]    Disponível em: http://www.gotquestions.org/Portugues/que-teologia.html acesso 14/10/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.