terça-feira, 2 de setembro de 2014

Esboço de Sermão: Cinco evidências do Reavivamento Verdadeiro.


 
 
 
Esboço de Sermão: Cinco evidências do Reavivamento Verdadeiro.
Texto Bíblico: Neemias 8

1ª Evidência: (8: 1-3,5)
Grande desejo de ouvir a Palavra de Deus.
O coração humano ao ser reavivado de forma verdadeira pede: “Traga-nos a verdadeira Palavra do Senhor”.
Em Igrejas comprometidas com a Sã Doutrina: Há Palavra e Ensino da Palavra.
Em Igrejas Descomprometidas: Há somente cantos, danças e excitamentos.
EMOÇÃO X RAZÃO
No descompromisso ocorre a letra morta, sem unção, o “pão adormecido”.

2ª Evidência: (8:6-9)
Arrependimento que quebranta coração.
(Salmo 134:2) – Apoio Bíblico.
  • Quando a Palavra de Deus nos faz prostrar com o rosto em terra, temos um reavivamento verdadeiro.
Em consequência:
  • Não há rancores.
  • Não há mexericos.
  • Não se caluniam.
  • Não vivem procurando erros nos outros.
  • Não assentam-se em rodas de escarnecedores.
  • Não Julgam. ( A Palavra Julga)
  • Convencem-se da própria culpa mediante a Palavra de Deus.
3ª Evidência: (8:10-12)
Um incrível espírito de alegria e celebração. (Júbilo)
Onde:
  • Entra o amor à Palavra de Deus.
  • Verifica-se a extinção do Pecado.
  • Há arrependimento.
Sempre:
  • Se manifestará uma onda poderosa de alegria e celebração.
Mas não é:
  • Um tipo de alegria hipócrita e celebração falsa como em nossos dias atuais.
  • Não é celebração do Eu da Idolatria e da Egolatria.
  • Não é dança ao redor do Bezerro de ouro.
Devemos:
Orar a Deus pedindo discernimento para sabermos diferenciar entre a “verdadeira alegria do arrependimento” e a “falsa alegria da idolatria”.
O que estabelece a diferença:
  • Pregação da Palavra de deus.
  • Amor à Palavra Renovadora e reprovadora de Deus.
  • Obediência que vem pelo entendimento da Palavra. (V12)
4ª Evidência: (8:13-17)
O reconhecimento de que somos estrangeiros na terra.
No hebraico existe um termo (Sukkah) (Levítico 23: 40-43)
O mandamento exigia que o Judeu se ausentasse do conforto do seu lar e por sete dias habitasse em cabanas feitas com ramos.
Sukkah: Significa abrigo provisório, e nos traz a mente que nós somos estrangeiros neste lugar. Nos traz a mente que nós somos cidadãos de outro País, de uma Pátria Celestial.
Na língua hebraica, o vocábulo “estrangeiro” deriva de uma raíz que significa “ encolher-se de medo, como num lugar estranho”.

Peregrino: Significa um estrangeiro residente. Assim somos nós, estamos de passagem. Já fomos colocados na lista de viagem pelo sangue remidor de calvário. Podemos nos manter na lista dos justificados pela Fé, se mantivermos nossa fidelidade a Deus.

A vida na cabana nos lembra da brevidade da vida neste lugar, rumando para a Jerusalém Celestial. Céu com Cristo.

A “Sukkah” é um lembrete para nos abstermos de todas as concupiscências carnais.
Vejamos: 1ª Pedro 2:11; Hebreus 12:2

5ª Evidência:
A absoluta separação do mundo.
  • Sem arrependimento e separação do mundo não há genuíno reavivamento. (Neemias 9:2)
  • “Onde quer que haja uma restauração bíblica, haverá uma consciência sempre crescente do chamado do SENHOR para a separação de tudo que é mundano e sensual”.
  • Há uma guerra espiritual sendo travada, e somente cristãos verdadeiros poderão caçar o inimigo.
  • No mundo moderno infestado pelos crimes perpetrados sob a influência demoníaca; só um cristão puro, separado, cheio de Cristo poderá fazer a diferença.
  • Os contemporizadores, ou seja, aqueles que se acomodam às circunstâncias são afugentados e seus próprios pecados os condenam.
  • O crente separado ouvirá a trombeta e saberá o que Deus está dizendo. O Crente separado ouvirá o som da trombeta.

O reavivamento genuíno não é:
  • Um grande alvoroço emocional.
  • Sensacionalismo.

Mas é:

Nos transformamos em um povo separado e preparado em santidade para ser presença de Deus.
Um reavivamento na presença do SENHOR torna as ações agradáveis para Deus. Onde sua Glória desce para satisfazer cada necessidade.

Um comentário:

  1. Glória a Deus meu irmão e amigo. Que Deus traga sobre nós esse avivamento que precisamos, e que nós possamos demonstrar os resultados dele em nossa vida cristã diária. Forte abraço.

    ResponderExcluir

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.