sábado, 20 de setembro de 2014

A NECESSIDADE DE ORARMOS PELAS AUTORIDADES.



A NECESSIDADE DE ORARMOS PELAS AUTORIDADES.
Jonas Dias de Souza[1]
O mundo moderno passa por uma necessidade de autoridade firme, ética, sincera e honesta. Autoridade revestida de valores morais inegociáveis e preocupada com o bem comum e com a qualidade da sociedade que serve.
Afinal o que é autoridade? O conceito de autoridade vai além do simples mandar. Ao contrário, a autoridade não se coaduna com o autoritarismo. São duas coisas distintas. O autoritário carece justamente de autoridade. A autoridade é exercida pelo reconhecimento do direito do outro e de sua posição diante da autoridade que exercemos. Não uma posição inferior, mas uma posição superior, justamente pelo fato de sermos ou possuirmos autoridade.
Um exemplo é o médico. O ser humano que recebeu de Deus o direito e a sabedoria de estudar medicina deve ir além do juramento hipocrático, deve ser um modelo de servir. Isto deve ocorrer com todos os homens de autoridade. Não pode ser pura demagogia. Bombeiros, Enfermeiros, Funcionários públicos, Policiais Militares, Civis e Federais. E sobretudo a classe política dos governantes. Mas temos co-responsabilidade. A nossa participação para a preservação do tecido social, ultrapassa o dever de respeitar as autoridades constituídas, devemos interceder por eles. O que parece estranho ao mundo. Para os Cristãos é um imperativo bíblico.  Sabemos que autoridade deve servir.
É isto mesmo, o conceito de autoridade é  servir. A inversão de valores não pode prevalecer.  Em contrapartida devemos cooperar com as autoridades. Não falamos de obediências às leis, isto é dever. Falamos de cooperar na Batalha Espiritual que é travada a cada segundo.  Como ensinou o apóstolo Paulo, “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.”  (Efésios 6.10-12).  As  lutas enfrentadas pelos Policiais Militares  diuturnamente, vão além de confrontar cidadãos em conflito com a lei. Além da assistência à comunidade. Além da Preservação da Sociedade. Existe uma luta, uma batalha espiritual travada a cada momento. Os anjos caídos, liderados pelo príncipe deste século, não são meras fantasias são reais.
Contudo temos armas mais eficientes a serem empregadas. Ainda com Paulo, aprendemos  que devemos tomar toda a armadura de Deus para resistirmos no dia mau. “Estai pois firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, e calçados os pés na preparação do evangelho da paz; tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos (...)” (Efésios 6.14-18)
Esta convocação é para que possamos juntos interceder, orar, clamar, suplicar, pelas autoridades designadas por Deus.  “(...) porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus.” (Romanos13.1b)
Esta luta é nossa.  Oração, Palavra, Jejum em prol das autoridades constituídas por Deus. Como ensina a Bíblia: “Ore dessa forma pelos reis e por todos os outros que exercem autoridade sobre nós ou que ocupam cargos de alta responsabilidade a fim de que possamos viver em Paz e tranqüilidade, passando o nosso tempo vivendo piedosa e dignamente.” (1Timóteo 2.2) (Bíblia Viva)
Atenda a esta convocação!




[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões em São João Del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.