segunda-feira, 2 de junho de 2014

SEMPRE ALERTA!

                                         





 SEMPRE ALERTA!
Jonas Dias de Souza[1]
Sempre Alerta! É o lema dos Escoteiros. Mas deve ser também o lema do Servo do Senhor Jesus Cristo. A vida Cristã é comparada a um estado de constante prontidão. Seja comparado a um atleta, a um soldado, a um combatente. O crente é aquele que carrega o Pendão Real.
“Um Pendão Real vos entregou o Rei.” Assim diz um hino da Harpa Cristã.
Este Pendão Real foi dado aos soldados de Deus pelo próprio Rei Jesus. E devemos defendê-lo de forma corajosa, enquanto marchamos para os céus.
Existe algumas características que devem permear a vida cristã, a saber:
Disciplina, Coragem, Submissão, Lealdade e Prontidão.

DISCIPLINA.
O atleta treina abrindo mão de muitos prazeres com vistas a alcançar um alvo, um prêmio que para ele é mais importante do que uma refeição pesada por exemplo.
O apóstolo Paulo ensina na sua carta aos Coríntios, que o atleta treina duro para receber uma coroa frugal que é feita de folhas de louro. Esta coroa por sinal não dura muito tempo. Mas nós os Crentes em cristo treinamos para receber uma coroa que durará eternamente.
“E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível.” (1 Coríntios 9.25)
Vencer uma luta, uma corrida, uma competição, exige propósito e também exige disciplina. Assim como, para vencermos na vida cristã devemos ter uma exaustiva preparação. Abrir mão de outras coisas ligadas ao mundo. O crente disciplina-se na oração, no estudo da bíblia e da adoração a Deus por meio de seu culto racional. Oração e leitura da Bíblia habilita o crente a perseverar, a correr de forma vigorosa e a não ficar como mero espectador nas arquibancadas, mas sim “em campo”.
Por sua vez, o apóstolo Tiago ensina que o crente que suporta a provação de forma perseverante, será aprovado para receber a Coroa da Vida, e que inclusive foi prometida pelo Senhor Jesus Cristo. “Sabendo que a prova da vossa Fé produz a paciência.” (Tiago 1.2)
Além disto, o Crente deve ser um exemplo para os demais. Não podemos chamar outros para lutar e depois desistirmos da luta.  Se formos crentes mais fortes não devemos nos orgulhar de nossa maturidade e nem ficarmos fazendo menção exacerbada  de nossa liberdade. Se formos crentes mais fracos, devemos orar a Deus. “Antes, subjugo meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.” (1 Coríntios 9.27)

CORAGEM.
A coragem do crente reside no fato de que ele sabe que por onde ele andar, Jesus Cristo estará com ele. Por causa disto não há necessidade de ficar assustado e tampouco ter medo. O crente em Cristo não se atemoriza e nem, porque não será desamparado pelo General de seu exército.
Força, vigor, e coragem são palavras comuns ao vocabulário daquele que serve a Deus. O Grande Eu Sou.
O padrão do mundo pode não servir de sucesso para o crente, mas diante da coragem outorgada por Deus, o crente sai vencedor.
“Não to mandei eu? Esforça-te e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo, por onde quer que andares.” ( Josué  1.9)


SUBMISSÃO.
A submissão é caracterizada pela disposição em obedecer, uma docilidade no servir. Ocorre que no Evangelho aquele que serve bem a seu Senhor é recompensado com uma boa medida, sacudida e recalcada. Deus não quer que o sirvamos de coração vazio, mas que nos entreguemos a Ele com nosso corpo, alma e espírito. Esta submisão a Deus é inclusive uma arma para ser usada em desfavor do inimigo de seu povo (O diabo). Temer, Cultuar com sinceridade, arrepender-se dos pecados são características de quem é submisso a Deus. “Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” (Tiago 4:7)
Tiago ensina cinco maneiras de sermos submissos a Deus.
  1.            Humilhar-nos diante Dele; Submetermo-nos à sua autoridade e vontade, comprometendo nossa vida com Ele e com o controle que Ele terá sobre nossa vida e comprometendo-nos com seus desígnios.
  2.              Resistindo ao diabo, não permitindo que sua sedução nos alcance.
  3.             Vivermos uma vida pura, lavando nossas mãos, mas não como fez Pilatos para se omitir. Mas lavar com ações que reflitam a condição de filhos de Deus perante a sociedade.
  4.           Sentindo tristeza pelos nossos pecados.
  5.            Humilhando-se diante de Deus seremos exaltados.
  6. Humilde é aquele que reconhece suas limitações e coloca-se nas mãos de Deus.

LEALDADE.
Quando lemos o profeta Jeremias, aprendemos que o que o Senhor quer de nós é fidelidade. Deus não nega a si mesmo, e ainda que sejamos infiéis Ele permanece fiel. Mas, o que devemos procurar é uma vida de santificação. Crescendo na Doutrina, na Graça e no Conhecimento. Quando somos fiéis no pouco, deus nos coloca sobre os ombros a responsabilidade pelo muito, e em consequência participamos da alegria de Deus.
“E o seu Senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor.” (Mateus 25:21)
Não dizemos com isto que devemos abandonar as nossas vidas sociais. Mas, sim, empregar nosso tempo, nosso talento, nossa energia, nossa vida profissional, nossa vida familiar, nossos recursos, de forma diligente com o objetivo de servirmos a Deus em tudo que levarmos a cabo e fizermos.
Não significa jamais uma mudança de atividade, mas uma execução do nosso trabalho diário de forma a continuarmos a AMAR A DEUS sobre todas as coisas.
Esta fidelidade até a morte, é que segundo Jesus, será premiada com a coroa da vida.

PRONTIDÃO.
Sabemos que a carne luta constantemente com o Espírito, e que a carne possui mais fraquezas. A carne é fraca. O Espírito está sempre pronto, mas a carne é que derrota o homem. Neste sentido precisamos ficar SEMPRE ALERTA para fugirmos do pecado e das tentações. Nos momentos de tensões ficamos com nossa vulnerabilidade aflorada, mesmo que o nosso Espírito seja voluntário.
Jesus deixou claro que para fugirmos das tentações devemos:
1)      Orar a Deus.
“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.” (Marcos 14:38)
2)      Procurar a ajuda daquelas pessoas que amamos e dos nossos amigos. Assim como Jesus, na hora de sua angústia no Getsêmani levou consigo seus discípulos por companhia.
3)      Colocar nosso foco no propósito que nos foi dado por Deus.
“E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja porém, o que eu quero, mas o que tu queres.” (Marcos 14:36)




[1] Servo de Deus. Congrega na Assembleia de Deus Missões na cidade de São João Del-Rei/MG. Graduado em Filosofia pela Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ). Estudante de Teologia da EETAD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.