terça-feira, 20 de maio de 2014

SOBRE ARREPENDIMENTO E COISAS AFINS

Arrependimento
SOBRE ARREPENDIMENTO E COISAS AFINS
Jonas Dias de Souza[1]


No correr de nossa vida praticamos coisas que nem sempre podemos nos orgulhar. Desde as pequenas mentiras pueris, passando pela desobediência aos pais, até coisas que temos vergonha de narrar.
Após estes atos  não nos orgulhamos, experimentamos o tribunal de nossa consciência. Este sentimento de culpa, de vontade de reescrever o passado, é algo que atormenta uma grande parcela da humanidade.
Aproveitando disto o inimigo do homem, cumpre sua tríplice função: Matar, Roubar e Destruir.
É isto mesmo. O diabo mata nossa humanidade. Rouba nossa Paz de espírito e destrói nossa vontade de viver. Eis aí, a explicação
para uma grande leva de suicídios vistos pela terra.
Arrependimento

Acontece que não há segredo para nos livrarmos deste sentimento. Não descarto uma provável ida ao profissional de psicologia, pois até mesmo o crente passa por suas batalhas interiores.
Deus, em sua onisciência e sabedor do sofrimento humano, decorrente dos ataques do inimigo, propiciou um plano de redenção. Contudo, este plano passa pelo arrependimento. Esta contrição que aperta o coração deve servir para nos aproximar de Deus, quando interiormente temos vontade de mudar nossas ações, em suma é isto que se chama conversão.
O evangelho de Mateus, ensina que, em determinada época apareceu um certo João Batista, que pregava no deserto da Judeia e conclamava o povo ao arrependimento, porque o Reino de Deus havia chegado. Este Reino de Deus nada mais era que Jesus Cristo em pessoa que estava vindo pagar a nossa dívida no calvário.
Convinha que Cristo assim sofresse (conforme ensina Lucas) e que ressuscitasse ao terceiro dia, vindo dos mortos. É no nome de Jesus Cristo que nesta leitura você toma conhecimento da necessidade do arrependimento para a remissão de pecados e culpas e suas conseqüências funestas.
O mais importante é que o tempo que o homem ficou na ignorância não é levado em conta por Deus. Ou seja, Ele te perdoa os pecados e te dá uma nova vida, a partir do momento em que você crê no seu filho unigênito Jesus Cristo. É por isto que o Evangelho é anunciado, para que os pecadores se arrependam.
E como externalizar este arrependimento?  É muito simples. É somente verbalizar, confessando com sua boca para Deus e somente para Ele, os seus pecados.
“Se, com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e , em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.” (Romanos 10: 9-10)
Arrepender-se é sentir muito; é uma alteração de ânimo; é dar uma virada de 180 graus. Ou seja, você sai do pecado para Deus. É isto que é conversão. Simples assim. Quando afirmamos que fulano ou beltrano se converteu, nada mais dizemos que ele abandonou sua vida de pecado e voltou-se para Deus. O fato de ele filiar-se a uma igreja, é somente o fruto de sua necessidade de continuar a aprender a palavra de Deus e a conviver em comunidade. Especialmente numa comunidade que sabe entender suas lágrimas.

O arrependimento é urgente, pois do contrário enfrentaremos o tribunal celestial. “Arrepende-te, pois; quando não, em breve virei a ti e contra eles batalharei com a espada da minha boca.” (Apocalipse 2:16)


[1] Servo de Deus. Graduado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD. Congrega na Assembleia de Deus Missões em São João Del-Rei/MG.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.