segunda-feira, 26 de agosto de 2013

A ALEGRIA DOS SERVOS DE DEUS INDEPENDE DAS CIRCUNSTÂNCIAS.





A ALEGRIA DOS SERVOS DE DEUS INDEPENDE DAS CIRCUNSTÂNCIAS.

Jonas Dias de Souza[1]

Numa cama de hospital está um homem, o câncer lhe corroe todas as células. Inobstante a isto ele, consola os que ali comparecem para visitá-lo. Aqueles que entram com a intenção de deixar uma palavra amiga ouvem maravilhadas as palavras do evangelho.

Um sorriso, uma exortação. Outro sorriso e outro ensinamento. Verifica-se uma sabedoria que não existe nos livros humanos, ou que não foi adquirida nos bancos da faculdade. Mas uma sabedoria que foi adquirida ao longo de anos na
Escola Dominical e na presença do Senhor Jesus.

Um acidente de carro, enquanto os Bombeiros trabalham para soltarem as vítimas da ferragem,  ouve-se o entoar de um hino que diz “mais perto quero estar meu deus de ti”. Os profissionais que estão acostumados a ouvirem os lamentos, são inundados pela presença viva de Cristo em meio aquele sofrimento físico.

Uma notícia de desemprego, aquele homem que trabalhava a cerca de quinze na empresa, foi demitido, por causa do racionamento dos custos. Mas no domingo à noite dirige-se com sua família para a Igreja, para agradecer a Deus e colocar-se debaixo de sua santa mão.

E assim vamos vivendo neste mundo passageiro. As aflições atingem a todos de forma indistinta, mas a reação do povo de Deus e diferente.

Jesus disse que no mundo teríamos aflição. Mas que venceríamos as aflições e o mundo assim como Ele (Cristo) venceu. Ocorre que o sofrimento na vida do Crente em Cristo Jesus, não significa a ausência da alegria em deus.

Jesus nos oferece um reforço para a nossa Fé em tempos de adversidade. A isto chamamos de REGOZIJO ESPIRITUAL.  O apóstolo Paulo nos orientou a termos alegria no Senhor.

Pois é, a nossa alegria, não é uma falsa alegria, como a de uma noitada que no dia seguinte nos deixa envergonhado pelas ações praticadas.  Mas é aquela alegria sincera de quem está passando por uma crise, mas que tem ao lado o consolador.

A propósito, o vocábulo Sincero encontra sua etimologia no Latim.  Sine Cera ou seja sem Cera.

A sinceridade do crente ao caminhar e alegrar-se no Senhor da vida, é que o faz reter a palavra da vida. Esta palavra da vida é que faz com que o crente não olhe para as circunstâncias da vida. Não é confiar em uma auto-ajuda e sim na ajuda do alto.

Há um corinho dos tempos de infância, que diz: “Esta paz que sinto em minha alma, não é porque tudo em mim vai bem. Esta paz que eu sinto em minha alma é porque eu amo ao meu Senhor.”

A alegria do crente reside  no fato que Jesus realizou a salvação mediante o sacrifício no calvário. E a partir do momento em que o aceitamos nas nossas vidas, somos chamados a testemunhar ao mundo. Esta alegria do Povo de Deus é operada pela Salvação. Este contentamento do povo de Deus é operado pela salvação.

É por isto que se recomenda ao Crente afastar de murmurações e contendas. A vida sincera (sem Cera) escudada no Cristo vivo e ressurreto permitirá à nossa alma ser inundada  pela alegria sincera do Senhor.

Temos nos regozijado em Cristo pela nossa Salvação?








[1] Servo de Deus que congrega na Assembléia de Deus Missões em São João Del-Rei/MG. Licenciado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da EETAD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.