terça-feira, 6 de agosto de 2013

Qual deve ser o alvo do crente em Cristo Jesus?



MEU ALVO É O CÉU.

Jonas Dias de Souza[1]

Nesta semana houve o Pré-congressso de jovens da Igreja Assembleia de Deus Missões. O tema:  “MEU ALVO É O CÉU”.

Qual é o alvo do ser humano? As faculdades ensinam ora um Pragmatismo, ora um Relativismo. Outros setores da vida ensinam que o homem busca a felicidade. Ao analisarmos as correntes filosóficas, sejam existencialistas ou humanistas. Epicuristas, estoicistas e outros tantos “istas” existentes na cultura secular, colhemos uma série de alvos. E como perseguimos estes alvos ao longo da vida. Desde o nosso
ingresso nesta vida, desde o primeiro respirar, incutem em nossas mentes alvos a serem perseguidos, conquistados, achados, ganhados, alcançados.

E quando não correspondemos ou não atendemos às expectativas, frustram se conosco, ou nos frustramos.

Ocorre que todos estes alvos são passageiros. Enquanto Cristãos estamos aqui neste mundo na condição de peregrinos. Estrangeiros que buscam um passaporte que permita entrarmos no País Celestial. Este passaporte, nada mais é do que a Mensagem da Cruz deixada por Cristo ao derramar o seu sangue no madeiro.

Nosso alvo deve ser sempre o Céu. Ao aceitarmos a Cristo como nosso legítimo e suficiente, e único redentor. Quando mostramos a nossa Confissão de Fé pública, ou simplesmente o aceitamos no recôndito de nossa alma e coração. Quando compreendemos que somos pecadores, separados da Glória de Deus pela Herança do pecado adâmico ou pecado original. Quando compreendemos que as nossas ações pecaminosas fazem separação entre nós e Deus. Quando nos fazemos discípulos de Jesus, estamos sim perseguindo o único alvo que importa para o homem.

Tudo o mais é transitório. A vida secular é um obstáculo, quando colocamos os nossos alvos humanos acima do alvo Céu. A nossa meta principal é ir para o Céu. E como tal vamo-nos santificando a cada dia.

O apóstolo Paulo em sua carta escrita da prisão para os Filipenses nos ensina que: “Mas o que para mim era ganho reputei-o por perda por Cristo”. (Fp 3.7)

O que perdemos na vida secular é infinitamente menor. Incomparavelmente, incomensuravelmente, inexplicavelmente, menor e sem valor diante do que esperamos pelas promessas da Palavra de Deus.

Ainda em Filipenses continua Paulo: “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” (Fp 3.13-14) (grifo nosso)(ARC)

O que deixamos para trás? Uma parcela considerável deixa uma vida de sofrimentos e escravidão. É isto mesmo. Travestida de felicidade, a vida mundana é sofrimento, tristeza e escravidão.  A liberdade do crente é revestida de loucura frente ao mundo ímpio.

Quantas desculpas para não aceitarmos o convite de Cristo.  Na perseguição de alvos humanos esquecemo-nos do alvo maior e  melhor. O meu alvo é o Céu.

Em Outra versão, desta feita da Nova Bíblia Viva, numa linguagem menos erudita, a passagem de Filipenses, foi vertida assim: “Não, caros irmãos, não sou ainda tudo quanto deveria ser, porém estou concentrando todas as minhas energias para insistir nesta única coisa: Esquecendo o passado e aguardando esperançoso aquilo que está à frente, esforço-me para chegar ao fim da corrida e receber o prêmio para o qual Deus está nos chamando ao céu, em Cristo Jesus.” (Fp 3.13-14)(NBV)

Deus nos chama para o céu em Cristo Jesus, e para isto importa deixar para trás todos os empecilhos da vida no mundo. E destas coisas não sentiremos falta ou necessidade.

O MEU ALVO É O CÉU.






[1] Servo de Deus. Licenciado em Filosofia pela UFSJ. Estudante de Teologia da Escola de Educação Teológica das Assembleias de Deus(EETAD).

Um comentário:

  1. Nosso alvo deve ser Cristo e não o céu. O céu é do Senhor, a terra é que é nossa. Está na Bíblia.

    ResponderExcluir

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.