sábado, 6 de julho de 2013

Passos para Deus (Esboço de um Sermão)



Passos para Deus. (Esboço de um Sermão)
Chegai vos a Deus, e ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e vós de duplo ânimo, purificai o coração. ( Tiago 4:8)
Para chegar a Deus são necessários alguns passos. Estes passos são indispensáveis, sem os quais nos perdemos neste emaranhado de filosofismos que a vida coloca a nossa a frente sob o disfarce de um verniz secular. Quando nos colocamos a caminho de algum lugar, é necessário que coloquemos em prática uma série de planejamentos. Ocorre que o caminho para o céu é um só. O caminho para Deus é por meio exclusivamente de Jesus Cristo. Não há outra via de acesso a Deus. Mas, quando conhecemos Jesus e a Ele nos entregamos, através das Boas Novas do Evangelho vamos aprendendo a caminhar pela jornada da vida cristã. Esta santificação na vida cristã nos promete galardões no céu. Ou seja, ganhamos a salvação por meio de Jesus Cristo e trabalhamos para ganharmos galardões na vida celestial.
Jesus identificou-se como o caminho, no evangelho de João. Quando respondeu a Tomé que perguntava sobre o caminho.
Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim. (João 14:6)
Este “senão” é equivalente ao advérbio só. Só Jesus é o caminho. Por mais que o ecumenismo afirme que muitos são os caminhos para Deus. É pura enganação. O caminho é um só.
Jesus nos ensina quatro passos principais:
I)                    O passo da aproximação.
1)      É o passo que nos leva a conhecer.
A)     Nossa incapacidade como pecadores.
Porque todos pecaram e destituídos estão da Glória de Deus. (Romanos 3:23)
B)      Que só Jesus é o meio de salvação.
E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devemos ser salvos. (Atos 4:12)
2)      É o passo que nos conscientiza.
A)     Acerca do grande amor de Deus.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16)
B)      Da importância do sacrifício expiatório de Cristo.
Não são necessários sacrifícios de carregar pedras, andor, ou abstinência disto e daquilo.
C)      Da inutilidade de nossos méritos pessoais.
De nada adiantará os nossos títulos seculares, eles não abrirão as portas do céu. E tampouco os nossos títulos eclesiásticos.
3)      É o passo que nos possibilita chegarmos a Deus através de Jesus Cristo.
II)                  O passo da decisão.
1)      Aqui o coração e a mente já não vacilam.
Permitimos que o Espírito Santo agisse em nós e estamos preparados para aceitar o convite de Cristo. Veja que é um convite.
Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei. (Mateus 11:28)
2)      O ato de aproximação a Deus possibilitou o passo da decisão.
Deus em sua infinita misericórdia nos conduz a Cristo para que por meio de Cristo sejamos conduzidos a ELE. Ou seja, abrimos o coração para Deus que nos mostra o caminho (que é seu filho) para Ele.
3)      Decisão aqui implica em.
A)     No reconhecimento de Cristo como único e suficiente Salvador.
B)      Na confissão de sua Fé em Cristo Jesus.
III)                O passo da rendição.
1)      Não há mais que medir ou pesar. Não há mais sombra de dúvida.
2)      A verdade foi aclarada. A decisão está tomada. Resta só a rendição total a Cristo.
3)      Render-se a Cristo significa:
A)     Reconhecê-lo;
B)      Submeter-se a Ele.
4)      Rendição significa entregar-se sem reservas a ELE (Jesus Cristo)
IV)               O passo da apropriação.
1)      É o passo que conduz a posse das bênçãos outorgadas.
2)      Cristo é a maior apropriação que um ser humano pode ter.
3)      Há mais de 35 mil promessas de bênçãos na Bíblia, todas disponíveis para o crente.

                        Conclusão
A mensagem de Tiago é imperativa: “Chegais-vos a Deus”.
Se quer conhecê-lo, amá-lo e recebê-lo em sua vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.