sexta-feira, 19 de julho de 2013

O Evangelho de João: O Retrato Espiritual de Cristo.



O Evangelho de João: O Retrato Espiritual de Cristo.
Jonas Dias de Souza
O crente que mantém uma comunhão estreita com Deus, pelas Sagradas Escrituras e também de uma vida de oração e consagração pelo jejum, sabe que temos que deixar Cristo agir em nós. Uma  figura que me ocorre, é de uma cola antiga no mercado, chamada de “epóxi” [1], que consistia em misturar/mesclar duas misturas químicas até que se tornasse homogênea e assim utilizar o produto.
Outra figura é a de um Copo de água cristalina e fresca dada ao sedento. Outras figuras existem. Mas, o fato concreto é

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Memento Homo, quia pulves es et in pulverem reverteris.



Memento Homo, quia pulves es et in pulverem reverteris.[1]
Jonas Dias de Souza[2]
                Um dia desses deparei com uma cena inusitada, que foi a ver a negativa de um cidadão em atender ao pedido de uma criança. Negou-lhe o pão e vituperou alguma coisa e outra ininteligível.
Não seria tão estranha, se não presenciasse logo após o entregar da moeda na famigerada máquina caça-níquel. Cheguei a pensar, por um momento, que o garoto estaria saciado e teu pai lhe ensinado limites. Puro engano.
                Em um dia não muito distante, estava a conversar longamente com um amigo, que me falou de sua busca religiosa. E de como é árdua o caminhar. Entre outras coisas, lamentava, ou foi levantado o assunto da impossibilidade de uma mudança radical.
A impossibilidade prende-se ao fato de que tendo uma filha, não poderá adotar o meio que lhe parece mais apropriado, pois não convém passar a missão antes de terminá-la.
Um fim de semana que não lembro com precisão, fui solicitado a socorrer uma mãe aflita, que já não sabia mais o que fazer com o filho adolescente. Sentia perdê-lo para o vício.
Conversamos longamente...
De todos aprendi alguma coisa: Há Pais e pais; Deus nos confia uma missão cujo valor não aprendemos a reconhecer; a dor de mãe é a maior dor que conheci.
Destas seis vidas carregamos uma certeza.
Lembre-se, homem, que és pó e ao pó retornarás.
“Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento;” (Eclesiastes 12:1)




[1] Lembre-se, homem, que és pó e ao pó retornarás

[2] Servo de Deus, Graduado em Filosofia pela UFSJ, Cursando Teologia pela EETAD. Congrega na Assembléia de Deus Missões na cidade de São João Del-rei.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

O melhor estudo bíblico em áudio.


Nesta rádio é possível baixar/dowload dos Estudos Bíblicos, fazer a avaliação e receber o certificado.


Siga o link...

 Faça um estudo Bíblico sério e rico em sã doutrina

O Kirios e o Kairós de Deus.



O Kirios e o Kairós de Deus.
Jonas Dias de Souza
“Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.” (Filipenses 2:9-10)
Quantas vezes nos lembramos de Deus somente nas tragédias que se abate sobre nossas vidas. Basta apresentar-se um pouco a mais de dificuldade e logo clamamos por Deus. Mesmo que no fundo não tenhamos a noção de quem seja o Deus verdadeiro, elevamos nossas vozes para o alto. É incrível, mesmo que sem a exata noção do “Kirios” de Deus, elevamos os nossos olhos para o alto. E mesmo sem saber alguns imitam o salmista que exclamou de onde lhe vinha a ajuda. “Elevo os meus olhos para os montes: de onde me virá o socorro? (Salmo 121;1)
Por vezes, mesmo sem a noção exata do que seja Deus o ser humano exclama e clama pelo socorro. O salmista nos diz que o socorro vem do SENHOR que criou o céu e  a terra.
Mas porque esperar chegar a tragédia sobre nossas vidas para nos colocar debaixo do senhorio de Deus. Pois, o Kirios[1] é isto. O senhorio de Deus deve ser reconhecido sobre a vida de todo ser humano. Ao nos colocarmos debaixo do senhorio de Jesus Cristo, estamos de fato nos colocando sobre a guarda de Deus. Este Deus verdadeiro (de Abraão, de Isaque e de Jacó) é que nos guarda como o Bom Pastor guarda as ovelhas de seu rebanho. Jesus sustenta os nossos pés de forma que não vacilamos diante das intempéries que a vida nos coloca. Além de não cochilar, ou seja, ele nem pisca quando nos guarda.
Quantas vezes na vida secular nos dirigimos ao nosso interlocutor como “Senhor”, quando de fato ele é apenas um homem investido de autoridade. E quantas vezes nos dirigimos a Deus de forma a não reconhecer seu senhorio.
O SENHOR foi dado a Jesus pelo Pai, ao colocá-lo como governante de toda a humanidade e redentor, pois comprou esta humanidade derramando o inocente sangue no madeiro. Ora, o senhorio de Cristo é muito melhor que o senhorio do mundo. Enquanto o mundo escraviza, Cristo adota como filho.
Toda nossa vida deve estar debaixo da liderança de Cristo, quer sejam bons momentos ou quer sejam momentos em que passamos por provas e aflições.
E qual deve ser o tempo de nos colocarmos na posição de servos de Cristo. O Kairós[2] de Deus é agora. No próximo segundo podemos não ter mais a oportunidade. Cristo foi enviado na plenitude dos tempos, mas é tempo de aceitá-lo sobre as nossas vidas.
Toda a humanidade pecou e ficou destituída da Glória de Deus, mas este Deus misericordioso enviou seu filho para que pudéssemos novamente comparecer na presença dele. Pode parecer paradoxal, mas DEUS enviou seu filho para morrer para que não pagássemos por nossa desobediência. Desobediência iniciada com Adão. Como disse Paulo por um homem veio o castigo e por outro a redenção. Só que a redenção veio por um Deus que tornou-se homem.
Quero que saibam que o Senhorio de Cristo não consiste em tirania, pelo contrário, ELE apresentou-se como servo para que o menor seja o maior.
Portanto coloque se debaixo do senhorio de Cristo e aceite o tempo de Deus que é agora.
O senhorio de Deus é dado por Jesus Cristo e o tempo é este, a oportunidade é esta.
Aceite a Jesus Cristo!



[1] Κυριος: palavra grega que significa senhorio
[2] Καιρος : palavra grega traduzida como tempo

sábado, 6 de julho de 2013

Passos para Deus (Esboço de um Sermão)



Passos para Deus. (Esboço de um Sermão)
Chegai vos a Deus, e ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e vós de duplo ânimo, purificai o coração. ( Tiago 4:8)
Para chegar a Deus são necessários alguns passos. Estes passos são indispensáveis, sem os quais nos perdemos neste emaranhado de filosofismos que a vida coloca a nossa a frente sob o disfarce de um verniz secular. Quando nos colocamos a caminho de algum lugar, é necessário que coloquemos em prática uma série de planejamentos. Ocorre que o caminho para o céu é um só. O caminho para Deus é por meio exclusivamente de Jesus Cristo. Não há outra via de acesso a Deus. Mas, quando conhecemos Jesus e a Ele nos entregamos, através das Boas Novas do Evangelho vamos aprendendo a caminhar pela jornada da vida cristã. Esta santificação na vida cristã nos promete galardões no céu. Ou seja, ganhamos a salvação por meio de Jesus Cristo e trabalhamos para ganharmos galardões na vida celestial.
Jesus identificou-se como o caminho, no evangelho de João. Quando respondeu a Tomé que perguntava sobre o caminho.
Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim. (João 14:6)
Este “senão” é equivalente ao advérbio só. Só Jesus é o caminho. Por mais que o ecumenismo afirme que muitos são os caminhos para Deus. É pura enganação. O caminho é um só.
Jesus nos ensina quatro passos principais:
I)                    O passo da aproximação.
1)      É o passo que nos leva a conhecer.
A)     Nossa incapacidade como pecadores.
Porque todos pecaram e destituídos estão da Glória de Deus. (Romanos 3:23)
B)      Que só Jesus é o meio de salvação.
E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devemos ser salvos. (Atos 4:12)
2)      É o passo que nos conscientiza.
A)     Acerca do grande amor de Deus.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16)
B)      Da importância do sacrifício expiatório de Cristo.
Não são necessários sacrifícios de carregar pedras, andor, ou abstinência disto e daquilo.
C)      Da inutilidade de nossos méritos pessoais.
De nada adiantará os nossos títulos seculares, eles não abrirão as portas do céu. E tampouco os nossos títulos eclesiásticos.
3)      É o passo que nos possibilita chegarmos a Deus através de Jesus Cristo.
II)                  O passo da decisão.
1)      Aqui o coração e a mente já não vacilam.
Permitimos que o Espírito Santo agisse em nós e estamos preparados para aceitar o convite de Cristo. Veja que é um convite.
Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei. (Mateus 11:28)
2)      O ato de aproximação a Deus possibilitou o passo da decisão.
Deus em sua infinita misericórdia nos conduz a Cristo para que por meio de Cristo sejamos conduzidos a ELE. Ou seja, abrimos o coração para Deus que nos mostra o caminho (que é seu filho) para Ele.
3)      Decisão aqui implica em.
A)     No reconhecimento de Cristo como único e suficiente Salvador.
B)      Na confissão de sua Fé em Cristo Jesus.
III)                O passo da rendição.
1)      Não há mais que medir ou pesar. Não há mais sombra de dúvida.
2)      A verdade foi aclarada. A decisão está tomada. Resta só a rendição total a Cristo.
3)      Render-se a Cristo significa:
A)     Reconhecê-lo;
B)      Submeter-se a Ele.
4)      Rendição significa entregar-se sem reservas a ELE (Jesus Cristo)
IV)               O passo da apropriação.
1)      É o passo que conduz a posse das bênçãos outorgadas.
2)      Cristo é a maior apropriação que um ser humano pode ter.
3)      Há mais de 35 mil promessas de bênçãos na Bíblia, todas disponíveis para o crente.

                        Conclusão
A mensagem de Tiago é imperativa: “Chegais-vos a Deus”.
Se quer conhecê-lo, amá-lo e recebê-lo em sua vida.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Sete orações curtas que você deve saber!



Sete orações curtas.

Devemos orar constantemente. Mas mesmo naqueles momentos em que não podemos adotar posturas de oração, podemos adotar atitudes de oração.

Temos na Bíblia sete orações breves, com as quais podemos familiarizar.

1)Salva-me!

“Volta-te, SENHOR, livra a minha alma; salva-me por tua benignidade.” (Salmo 6:4)

2) Sonda-me!

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos.” (Salmo 139-23)

3) Lava-me!

“Purifica-me com hissopo, e ficarei puro, lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve.” (Salmo 51:7)

4) Mostre-me tua Glória!

“Então, ele disse: Rogo-te que me mostres a tua Glória.” (Êxodo 33:18)

5) Envia-me a mim!

“Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.” (Isaias 6:8)

6) Lembra-te de mim!

“E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino.” (Lucas 23:42)

7) Dá-me forças!

“Então, Sansão clamou ao SENHOR e disse: Senhor JEOVÁ, peço-te que te lembres de mim e esforça-me agora, só esta vez, ó Deus, para que de uma vez me vingues dos filisteus, pelos meus dois olhos.” (Juízes 16:28)