quarta-feira, 17 de abril de 2013

Um estudo sobre João 10



Um estudo sobre João 10.

Jonas Dias de Souza[1]

            Um dia desses, um irmão da Assembléia de Deus apresentou um questionamento sobre uma conversa que teria tido com uma pessoa que lhe perguntou sobre o versículo 21 do capítulo 10 do Evangelho de João. E como sentiu dificuldades em propor uma explicação para os questionamentos que surgiram. Preferimos colocar as passagens a que nos remete a concordância, do que simplesmente citar os livros, capítulos e versículos, isto para facilitar a compreensão do estudo. Contudo o verdadeiro crente não pode prescindir de confrontar as passagens bíblicas, a exemplo dos crentes Bereanos.

            Para início de análise, devemos ter em mente que pegar qualquer texto isolado da Bíblia, ou seja, fora de seu contexto não é aconselhável. Ao longo da história pessoas sem ética tem usado passagens isoladas da Bíblia para manipular, explorar e retirar as lãs de suas ovelhas, que tiveram a infelicidade de ter mercenários no lugar de pastores. Falsos pastores que não se preocupam com o rebanho, e não teriam coragem de enfrentar o urso para salvá-lo conforme nos ensina o salmista.

            Temos que o autor do Evangelho de João ou como se fala ainda hoje, o Evangelho segundo São João, é João, irmão de Tiago, filho de Zebedeu. É também autor de outros 4 livros inseridos no Novo Testamento. Estudiosos consideram que esta peça literária ou pérola literária das Sagradas Escrituras, é a que possui maior

circulação em todo o mundo, isto devido ao costume de imprimir o Evangelho de João em Separata.
            Nenhum outro livro trata da Divindade de Cristo tão enfaticamente quanto o Evangelho conforme escreveu João. 

            “Jesus, pois, operou também, em presença de seus discípulos, muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.” (João 20:30-31)

            Esta afirmação nos ensina que, somente Crendo em Jesus Cristo, podemos ter vida. Para não perdermos o foco do nosso título, vejamos o capítulo 10, que trata do “Bom Pastor”.

Estudaremos do versículo 1 ao versículo 21 =  Jesus é o Bom Pastor

Versículo 1: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador.”  

Temos como palavras chave: Na verdade, ladrão e salteador. O Pastor legítimo entra pela porta, ou seja, possui (no mundo de hoje) um ministério reconhecido e divulga a Palavra de Deus no altar e não Teologias que visam a somente tosquiar as ovelhas. Quando Cristo afirma “Na verdade”, ele está afirmando no “Amém”, verdadeiramente.  O vocábulo “Ladrão” aqui nesta passagem no sentido figurado nomeando pessoas que tiram os crentes do caminho da verdade com falsos ensinos. Embora possamos considerar que a ganância pela lã das ovelhas ultimamente tem feito de alguns Pseudo-pregadores ladrões literais. Salteadores idem. E Metaforicamente, sobre Falsos profetas.  Aquele que não prega a Doutrina de Cristo e a deturpa, e diz profecias que são oriundas de sua própria cabeça é um salteador.

Versículo 2: “Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas.”

      O Bom Pastor entra pela Porta e usa a verdade do Evangelho.


Versículo 3-5: “A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas e as traz para fora. E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. Mas, de modo nenhum, seguirão o estranho; antes, fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.”         

            Jesus Cristo é comparado ao Pastor de Ovelhas. À Noite as ovelhas eram recolhidas no aprisco para serem protegidas de salteadores, do mau tempo e das feras selvagens. O Bom Pastor dormia e protegia suas ovelhas. As ovelhas seguem a Voz do seu Pastor e são conduzidas para as tranqüilas águas e para os verdejantes pastos, ao passo que o Ladrão as leva para a perdição.          

Versículo 6: “Jesus disse-lhes esta parábola, mas eles não entenderam o que era que lhes dizia.”  

O Dicionário da Bíblia de Almeida a respeito do que é uma parábola: “Geralmente história curta e, às vezes, comparação, baseada em fatos reais com o fim de ensinar lições de sabedoria, de moral ou de religião (...)”.  Jesus ensinava através de histórias para facilitar o entendimento de suas palavras.

Versículos 7-14 “Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Mas o mercenário, que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado das ovelhas. Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido.”

             O ladrão vem para roubar, matar e destruir a vida das ovelhas. O ladrão é o Diabo, que intenta através de seus agentes destruir a humanidade. Drogas, prostituições, adultérios, roubos, assassinatos, pedofilia, abortos. Enfim a destruição da família que é a célula máter (célula Mãe) da sociedade. O interesse do mercenário é o dinheiro. O do Pastor é o Bem estar das Ovelhas. O Bom Pastor Jesus, é tão comprometido que deus sua vida por nós, suas ovelhas. Quando Cristo diz que “conhece”, entendemos que é no sentido de Boa-Vontade para com as suas ovelhas; ele cuida; ele aprova e ele Ama. Com isto ele afirma sua Divindade com enfoques no seu Amor e sob sua direção. Podemos ver esta afirmação também em: João 14:6  “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (ARA)



Temos aqui um dos nomes com que Jesus referiu-se a si mesmo (v7) “A Porta das Ovelhas” nos ensina que Jesus é o único caminho para o reino de Deus.  Ele refere-se a si também como “O Bom Pastor”, Jesus assume assim a imagem profética que foi ilustrada a respeito do Messias no Antigo Testamento.  

Esta imagem profética pode ser vista em: Isaías 40:11 “Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio; as que amamentam ele guiará mansamente.”(ARA)

O Livro de Zacarias  faz menção ao Mercenário:  Zacarias 11:16 “porque eis que suscitarei um pastor na terra, o qual não cuidará das que estão perecendo, não buscará a desgarrada, não curará a que foi ferida, nem apascentará a sã; mas comerá a carne das gordas e lhes arrancará até as unhas.”  E ainda: Zacarias 11:17 “Ai do pastor inútil, que abandona o rebanho! A espada lhe cairá sobre o braço e sobre o olho direito; o braço, completamente, se lhe secará, e o olho direito, de todo, se escurecerá.”(ARA)


Versículos 15-18: “Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai e dou a minha vida pelas ovelhas. Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor. Por isso, o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar e poder para tornar a tomá-la. Esse mandamento recebi de meu Pai.”       

            Este capítulo é o ápice, o cume dos ensinamentos bíblicos a respeito de Jesus Cristo como o Bom Pastor. O Santo dos Santos é aqui apresentado como uma grande declaração (todo Evangelho): CRISTO É DEUS.  Quando Cristo afirma aqui que ele conhece o Pai, ele afirma que ele é “Um com o Pai”. Ele conhece no sentido completo.  Os Judeus receberam o Evangelho, mas decidiram rejeitá-lo. Com isto a mensagem de salvação foi enviada aos gentios, daí a afirmação de que somos a Igreja Gentílica.

            No AT: Isaías 56:8 “Assim diz o SENHOR Deus, que congrega os dispersos de Israel: Ainda congregarei outros aos que já se acham reunidos.”(ARA)



Versículo 19: Tornou, pois, a haver divisão entre os judeus por causa dessas palavras.

            Entende-se que este ensinamento de Jesus, provocou nova discussão no meio Judaico. Alguns Judeus se posicionavam a favor de Jesus e outros contra Jesus.

Versículo 20: E muitos deles diziam: Tem demônio e está fora de si; por que o ouvis?

            Um grupo (contra Jesus) dizia que Jesus estava endemoninhado ao afirmar que era Deus. É Imperativo lembrar que alguns Judeus disseram que Cristo realizou a expulsão de um demônio através do poder do diabo. O que é uma blasfêmia contra o Espírito Santo.

Versículo 21: “Diziam outros: Estas palavras não são de endemoninhado; pode, porventura, um demônio abrir os olhos aos cegos?”

      Este grupo acreditava em Cristo Jesus e diziam que suas palavras não eram de uma pessoa possuída por demônios, pois senão não haveria a cura dos cegos.  Vemos aqui a referência (também) a uma cegueira espiritual. A obra de Satanás é totalmente contrária à obra do Espírito Santo. Como ele (o diabo) falaria mal dele mesmo? Utilizamos o vocábulo “Porventura” em frases interrogativas, e particularmente e especialmente em perguntas delicadas, ou perguntas argumentativas. Havia aqui, como dissemos uma discussão em torno das palavras de Jesus.

            É necessário que façamos uma análise gramatical (especificamente) do versículo 21, para entendermos qual a dificuldade surgida na sua leitura.

Nesta passagem empregam-se os dois pontos, (:), que é um sinal usado normalmente para indicar a citação de outra pessoa, ou seja, algo que não está sendo dito por quem está escrevendo o texto, mas outra pessoa, neste caso, um grupo de pessoas. Não foi João ou Cristo quem disse, mas um grupo de Judeus que estavam a favor do ensinamento de Jesus. 

Utilizou-se aqui também o ponto-e-vírgula. A função é fazer uma pausa maior do que a vírgula.  E em seguida o ponto de interrogação, (?), que como sabemos serve para frases que apresentam uma pergunta. Ou seja, as palavras de Cristo provocaram uma discussão no meio dos Judeus e alguns deles estavam refletindo a favor de Jesus. Estavam defendendo-o das acusações dos que não acreditavam nele.

 Façamos agora as citações de outras traduções, com vistas a facilitar o entendimento.

1) (ARA[2]) Outros diziam: Este modo de falar não é de endemoninhado; pode, porventura, um demônio abrir os olhos aos cegos?

2) (ARC) Diziam outros: Estas palavras não são de endemoninhado; pode, porventura, um demônio abrir os olhos aos cegos?

3) (ARC1995) Diziam outros: Estas palavras não são de endemoninhado; pode, porventura, um demônio abrir os olhos aos cegos?

5) (NTLH) [3] Outros afirmavam: —Quem está dominado por um demônio não fala assim! Será que um demônio pode dar vista aos cegos?

6)(NVI[4])  Mas outros diziam: "Essas palavras não são de um endemoninhado. Pode um demônio abrir os olhos dos cegos? " [5]

7)(PJFA)  Diziam outros: Essas palavras não são de quem está endemoninhado; pode porventura um demônio abrir os olhos aos cegos?

8)(VIVA)  Outros diziam: ""Isto não nos parece o jeito de um homem tomado pelo demônio! Um demônio pode abrir os olhos dos cegos? ""

9)(CATÓLICA) Outros diziam: Estas palavras não são de quem está endemoninhado. Acaso pode o demônio abrir os olhos a um cego? [6]

Jesus deu a sua vida por nós, morreu na Cruz e nos resgatou do pecado. No contexto do Evangelho de João, ele não havia ainda consumado o seu propósito. Os Judeus daquela época e especialmente estes dois grupos, estavam ouvindo suas palavras. Ele estava realizando milagres para que eles pudessem ver e crer. Ainda assim uns não acreditaram que ele era o Bom Pastor. Outros acreditaram nas evidências que ele apresentava.

Se ele fosse somente um Homem, poderia ser tomado como insano. Mas demonstrações de milagres e curas provaram que ele era o Messias. O primeiro grupo (o do versículo 20) não conseguia ver além do preconceito, via um homem confinado, um homem normal, tinham uma visão restrita. O segundo (o do versículo 21) viu Jesus como o Cristo.

E quanto a nós? Como estamos vendo a Jesus. Pelos olhos da Fé, como o Bom Pastor, reconhecendo sua voz?  Ou como ovelhas ignorantes, e deixando nos levar pelos mercadores da Fé? Oremos para que ele aumente a nossa Fé. E confiemos no Bom Pastor Jesus. Fujamos, pois, dos Pastores, que querem somente a nossa lã. E Corramos para os braços de verdadeiro pastor que deu sua vida por nós.

Bibliografia.

Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. (2009). Rio de Janeiro: CPAD.

Biblia de Estudo Palavras Chave. (2011). Rio de janeiro: CPAD.

Bíblia Sagrada. (2005). São Paulo: Paulinas.










[1] Servo de Deus e Membro da Igreja Assembléia de Deus.
[2] Almeida Revista Atualizada
[3] Nova Tradução na Linguagem de Hoje
[4] Nova Versão Internacional
[5] Disponível em: http://www.bibliaonline.com.br/nvi/jo/10 acesso 2/11/2011
[6] Disponível em: http://www.bibliaonline.com.br/vc/jo/10 acesso 2/11/2011

5 comentários:

  1. ÓTIMO ESTUDO GOSTEI E ESCLARECI MINHAS DÚVIDAS....

    ResponderExcluir
  2. ÓTIMO ESTUDO GOSTEI E ESCLARECI MINHAS DÚVIDAS....

    ResponderExcluir
  3. tive uma compreensão melhor desse capitulo obrigado irmão em cristo.crismacleiton

    ResponderExcluir
  4. Se o ladrão é o diabo quem então é o lobo??
    "Mas o mercenário, que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado das ovelhas.

    ResponderExcluir
  5. Olá Felipe, a Paz do Senhor Jesus Cristo. O mercenário neste caso, o ladrão é o falso pastor. Aquele Pastor que não cuida das ovelhas, mas permite que o lobo (falsas doutrinas, ensinamentos espúrios, doutrinas de homens) afastem os fiéis da verdadeira igreja de Cristo. Quando um pastor abre um ministério para ficar rico, furtar as
    ovelhas...abre um ministério sem que esteja debaixo de uma benção apostólica verdadeira, se diz que ele entrou pela janela. Temos vários missionários que não são enviados, vão por conta própria, e com o tempo vão se perdendo. Temos como palavras chave: Na verdade, ladrão e salteador. O Pastor legítimo entra pela porta, ou seja, possui (no mundo de hoje) um ministério reconhecido e divulga a Palavra de Deus no altar e não Teologias que visam a somente tosquiar as ovelhas. Quando Cristo afirma “Na verdade”, ele está afirmando no “Amém”, verdadeiramente. O vocábulo “Ladrão” aqui nesta passagem no sentido figurado nomeando pessoas que tiram os crentes do caminho da verdade com falsos ensinos. Embora possamos considerar que a ganância pela lã das ovelhas ultimamente tem feito de alguns Pseudo-pregadores ladrões literais. Salteadores idem. E Metaforicamente, sobre Falsos profetas. Aquele que não prega a Doutrina de Cristo e a deturpa, e diz profecias que são oriundas de sua própria cabeça é um salteador." (retirado do próprio texto).

    ResponderExcluir

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.