quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Um Estudo sobre o Salmo 23.



Um Estudo sobre o Salmo 23.
Jonas Dias de Souza[1]
“A felicidade de termos o Senhor como nosso pastor”.
            A perícope do Salmo 23 nos fala da felicidade de termos o Senhor como nosso pastor. Não temos qualquer pessoa ou qualquer um como nosso pastor. Mas temos o Senhor. Do Hebraico
 “Adon” e do Grego “Kyrios”, temos o Senhor como dono de tudo o que há. Este título é dado ao criador e dono de tudo, inclusive de nossas vidas.  Cristo é o nosso Pastor, e nós somos felizes por tê-lo como nosso Pastor. A perícope trata da coletividade ao lembrar-nos que devemos ter uma unidade na Igreja, temos um pastor em comum.
V1: O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.
Deus é o meu pastor.  Meu é um pronome possessivo que demonstra ou determina um substantivo que pode ser coisa ou pessoa, que se refere à primeira pessoa do singular. Deus é meu pastor. Não interessa neste momento  as outras ovelhas do rebanho e nem os outros pastores. O meu único e exclusivo pastor é Deus. E se Ele (Deus) é o meu pastor por conseqüência

Crentes Frios.

Crentes Frios.
Jonas Dias de Souza[1]
Porque existem tantos crentes frios nas igrejas?
Porque nos alimentamos de tudo na nossa vida cotidiana. Mas, não comemos a palavra de Deus. A conseqüência disto, é que além de frios ficamos doentes espiritualmente. Afinal, é possível a existência de doentes espirituais? Sim. Quando não lemos a Bíblia e não colocamos em prática suas orientações, surgem as deteriorações da cristandade.
Eis aí a abertura de espaços para apostasias e heresias, modismos e outros ismos que deturpam a essência do Evangelho de Jesus Cristo.
Há crentes frios, mundanos, carnais, dotados de indiferenças, raquíticos, crentes inchados e obesos espirituais.
“E com muitas parábolas tais lhes dirigiam a palavra, segundo o que podiam compreender.” (Marcos 4:33)
Enfastiamos-nos com muitas coisas e esquecemos-nos da simplicidade do Evangelho. O princípio fundamental para recebermos a verdade revelada de Deus, é batalharmos pelo nosso crescimento espiritual. Nós somos aquilo que comemos!
Dom espiritual é totalmente diferente de fruto espiritual. Quando comemos outra coisa, que não a palavra de Deus, nós perdemos o apetite pelas coisas de Deus.
Neste sentido é mister termos um devocional particular. Obviamente isto não implica, em não ler as Boas obras literárias seculares existentes. Sem um falso espartanismo, por favor.
Implica sim, em dedicar maior tempo à Bíblia.
O pouco fruto de alguns se devem a não ler a Bíblia diariamente.
“Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feitos tais que necessitais de leite e não de sólido mantimento.” (Hebreus 5:12)
Leia a Bíblia diariamente! Em espírito e oração. Assim crescereis.


[1] Membro da Assembléia de Deus Missões na cidade de São João Del-Rei.

Jesus Cristo o início e final de nossa Fé.

Jesus Cristo o início e final de nossa Fé.
Jonas Dias de Souza[1]
Permaneça a caridade fraternal.
Não vos esqueçais da hospitalidade, porque, por ela, alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.
Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo.
Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará.
Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei.
E, assim, com confiança, ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei o que me possa fazer o homem.
Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.
Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente.
Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça e não com manjares, que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram.
Temos um altar de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo.
Porque os corpos dos animais cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o Santuário, são queimados fora do arraial.
E, por isso, também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.
Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério.
Porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura.
Portanto, ofereçamos sempre, por ele, a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.
E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque, com tais sacrifícios, Deus se agrada.
Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.
 Orai por nós, porque confiamos que temos boa consciência, como aqueles que em tudo querem portar-se honestamente.
E rogo-vos, com instância, que assim o façais para que eu mais depressa vos seja restituído.”  (Hebreus 13: 1-19)
Encontramos em Hebreus 13 uma seqüência de bons conselhos, a saber:

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O que significa a cruz do Gólgota?

O que significa a cruz do Gólgota?[1]
Jonas Dias de Souza[2]
Muitos procuram significado para a sua cruz. Carregar uma cruz significa para o mundo secular, uma vida de sacrifícios. Impensadamente, por vezes afirmamos sem muita reflexão, que carregamos uma cruz.
Ocorre que de fato a cruz já foi carregada uma única vez. Talvez movidos pelas várias formas de idolatrias que permeiam ao nosso derredor, estejamos sendo aos poucos influenciado, por este sacrificar cotidiano. Como forma de nos restaurarmos enquanto seres humanos. Mas obedecer é melhor que sacrificar.
Quando falamos em obediência à palavra viva, que é Jesus Cristo, deixamos de lado as outras formas de sacrifício. Não falo aqui, somente de rituais religiosos. Existem várias formas de sacrifício que atamos na nossa vida cotidiana. Cabe a cada pessoa fazer uma anamnese de sua rotina. Obviamente se isto for feito aos pés da cruz do salvador será melhor.  Podemos até trocar este obviamente por “com certeza”.
Pensemos, pois, o que significa a Cruz do Gólgota?

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

O MINISTÉRIO DE CADA PESSOA DA TRINDADE NA SALVAÇÃO DO HOMEM.

O MINISTÉRIO DE CADA PESSOA DA TRINDADE NA SALVAÇÃO DO HOMEM.
Jonas Dias de Souza[1]
            No que diz respeito à salvação eterna, a humanidade em sua grande maioria anda alheia ao seu destino futuro. Com o Cristianismo ainda incipiente em muitos países muito há que ser feito. Este artigo destina-se, portanto, ao homem crente em Cristo Jesus e consciente de sua salvação perpetrada pelo sacrifício perfeito de Jesus Cristo.
            Penso que um assunto pouco estudado pelos cristãos seja

domingo, 4 de novembro de 2012

O Anjo do Egito.


Vejam que belíssima interpretação deste Grupo. Louvo ao único Deus, e inspiração para os Cristãos.

As Seis impossibilidades na vida do Homem

As Seis impossibilidades na vida do Homem.
Existem coisas que são impossíveis para o Homem. O Homem que coxeia entre dois pensamentos, ou entre a vida cristã e a mundana, está fadado à ruína.
Vejamos a definição :
verbo:  transitivo indireto e intransitivo
1             caminhar com dificuldade, apoiando-se com mais freqüência em uma das pernas por defeito físico ou por qualquer lesão temporária; claudicar, mancar
Ex.: <coxeava visivelmente de um pé> <após a operação, começou a c.>
 intransitivo
2             Derivação: sentido figurado.
apresentar hesitação (diante de alguma coisa); hesitar, vacilar
Ex.: ante o problema, coxeava
Coxear nada mais é do que mancar, é como se andássemos num eterno “aqui está raso, aqui está fundo”. Andar entre dois caminhos é antinatural, e por conseqüência anti-espiritual.
Vejam seis impossibilidades:
1)      Aquele que não nascer de novo, não poderá ser salvo.
Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus. (João 3:3)
2)      Homens carnais não podem agradar a Deus
Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.
(Romanos 8:8)
3)      Uma boa árvore não pode produzir maus frutos
Não pode a árvore boa dar maus frutos, nem a árvore má dar frutos bons.
(Mateus 7:18)
4)      Ninguém pode servir à Deus e às riquezas.
Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.
(Mateus 6:24)
5)      Perdidos não podem (Fugir após a condenação) escapar do inferno.
E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá, passar para cá.
(Lucas 16:26)
6)      Salvos não podem perder-se
As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem;
  e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos.  (João 10: 27-28)

A escolha é somente nossa.


sábado, 3 de novembro de 2012

Sete promessas de Deus para os Cristãos encontradas no Evangelho de João.

Sete promessas de Deus para os Cristãos encontradas no Evangelho de João.
Historiadores e estudiosos da Bíblia, situam o Evangelho de João por volta de 95 A.D., e afirmam que o autor tinha cerca de 95 anos de idade. Considerando que era contemporâneo de Jesus, o Cristo, não vemos dificuldade em aceitarmos esta afirmação.
Consideradas as práticas de impressão do livro de João, em porções separadas da Bíblia, esta é talvez