quinta-feira, 19 de julho de 2012

Seguir a Cristo.

Seguir a Cristo.
Jonas Dias de Souza[1]

            Qual é a função de um soldado? A primeira definição de “soldado” é aquela que descreve um “indivíduo alistado nas fileiras de um exército”. Por extensão qualquer militar é um soldado.
            Por sua vez “escravo”, “è aquele que está sujeito a um Senhor, como propriedade dele”. Que está sujeito a outrem.
            A missão de ambos é seguir. Os soldados seguem seu líder ou comandante; os escravos seguem a seu senhor. E quando são líderes ou Senhores justos, seguem-no com mais facilidade e fidelidade. Inúmeras passagens do Novo Testamento, nos fala de “seguir”. Há tantas definições para este verbo e todos nomeiam por adição uma missão aos seguidores de Cristo.
            Podemos seguir os conselhos de outrem.
            Podemos seguir as leis de nosso País.
            Podemos seguir os argumentos de um discurso.
            Podemos seguir alguém no sentido de nos aproximarmos, fisicamente ou
 psicologicamente pelas suas idéias.
            Todos estes significados lançam esclarecimentos sobre o objetivo da vida cristã. Como soldado; como escravo; como apegado; como aconselhado e como legislado ou governado pela lei de Cristo.
            O erudito Inglês William Barclay, na sua obra “Palavras Chaves do Novo Testamento” diz: 

            “O cristão ocupa a posição do soldado que segue a Cristo e que deve imediatamente obedecer a palavra de ordem do seu líder. O Cristão ocupa posição de escravo que deve obedecer tão logo seu Senhor fale. O cristão deve pedir o conselho e o pronunciamento de Jesus Cristo e deve ter a humildade de segui-lo, seja ele qual for. O cristão é o homem que deseja a cidadania do Reino dos Céus, e a fim de recebê-la, deve concordar em viver de acordo com suas leis.O Cristão é o aprendiz e o ouvinte que deve escutar as palavras de Jesus, e que deve seguir o seu argumento a fim de que possa aprender, dia após dia, cada vez mais da sabedoria que Jesus sempre está querendo lhe ensinar.
            O cristão sempre está na posição de quem necessita e deseja o favor, a graça e a ajuda que Jesus Cristo pode lhe dar, e que segue a Cristo porque é somente nEle que vê suas necessidades supridas.”[2]         
            O resumo de toda vida do Cristão é “seguir”.
            Seguir é um verbo transitivo direto. É um verbo que exige um complemento, pois quem segue , segue alguém ou alguma coisa. No caso de nós, os Cristãos seguimos a Cristo Jesus, em detrimento de tudo que possa impedir este seguimento.
            Jesus emprega o verbo seguir, chamando os homens para si. Ainda na esteira de Barclay, afirmamos que, o seguir de Jesus é um desafio. Por si só, pressupõe lutas.
            “E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.
            Então eles, deixando logo as redes seguiram-no”. (Mateus 4: 20)
            Este foi o “segue-me” de Jesus para Pedro e André. E muitos outros foram chamados.
            Quando João Batista apontou para o Cordeiro de Deus, dois de seus seguidores o abandonaram.
“E os dois discípulos ouviram-no dizer isto e seguiram a Jesus” (João 1: 37)
Por vezes precisamos largar a tudo para irmos seguindo a Cristo, mesmo que estejamos como diz o mundo, “no lucro”.
“E, levando os barcos para a terra, deixaram tudo, e o seguiram” (Lucas 5:11)
Mas, o cristão não segue mudo. o cristão dialoga com Cristo. Hoje por meio da Oração.
“Então Pedro, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que nós deixamos tudo, e te seguimos, que receberemos?” (Mateus 19:27)
            O próprio Cristo, não quer e nem deseja seguidores duvidosos. Antes de se lançar no rastro de Jesus é preciso ponderar. Cristo respondeu ao escriba que queria lhe seguir.
“E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu tem ninhos, mas o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça” (Mateus 8: 20)
A necessidade de ponderar, se refere ao fato de que, para Cristo que pegar no arado e ficar olhando para trás é inapto para a herança do Reino eterno de Deus. (cf Lucas 9: 62)
            Mateus, Filipe e Pedro, aceitaram o desfio do “Segue-me” de Cristo. Por outro lado, um jovem muito rico, preferiu não seguir a Cristo. Geralmente quem segue a Cristo quer alguma coisa.
            Uns para serem curados, outros para escutar e aprender. Outros por mera curiosidade, como muitos fizeram no caminho para o calvário, para ver no que vai dar.
            Se uns seguem para receber favor: “E partindo dali, seguiram-no dois cegos, clamando e dizendo: tem compaixão de nós, filho de Davi” (Mateus 9: 27)
            Outros seguem por gratidão: “Então Jesus, movido de íntima compaixão, tocou-lhes nos olhos, e logo viram, e eles o seguiram.” (Mateus 20: 34)
            Devemos seguir somente a Jesus, pois somente ele pode satisfazer as nossas necessidades. “E aconteceu que, estando sentado à mesa em casa deste, também estavam sentados à mesa com Jesus e seus discípulos muitos publicanos e pecadores; porque eram muitos e o tinham seguido.” (Marcos 2:15)
Ainda hoje existem falsos pastores e falsas doutrinas. Mas, as Sagradas Escrituras nos exorta a seguir o verdadeiro Cristo.
 Porquê:
1)      O seu chamado é constrangedor;
2)      Existem coisas que somente ele é capaz de nos dar;
3)      Ele é o único que opera milagres verdadeiros;
4)      Aceita a nossa gratidão com um jugo leve e suave.
            É fácil seguir a Cristo? A resposta é um sonoro, audível, perceptível, inconfundível NÃO.
            NÃO! (Não com ponto de exclamação) E é Cristo quem nos diz isto. Ele não engana a ninguém que queira segui-lo. Até mesmo desencoraja aqueles que não têm certeza do que querem. Jesus quer que o sigamos com certeza. E ele nos ajuda a certificarmos do que queremos  através do Espírito Santo consolador.
Jesus quer um seguidor racional e não um seguidor emotivo, e sequer com pretextos frágeis e falsos.

“E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor, deixa que primeiro eu vá enterrar meu pai.
Mas Jesus lhe observou:  Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu, vai e anuncia o Reino de Deus.
Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa.
E Jesus lhe disse: Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus.”  (Cf Lucas 9: 59-61) (Grifo nosso)

            É um sacrifício seguir a Cristo. As pessoas perdem “tudo” (cf Lucas 5: 11); deixam o emprego (Mateus 4: 20). Não vá - em nome de Jesus – deixar o seu emprego. Não o faça baseado neste escrito. É Deus quem nos dirige. Você pode testemunhar dentro dele para os seus colegas de trabalho. Devemos trabalhar para Jesus de tempo integral, até no nosso trabalho.
            É uma Cruz seguir a Cristo. E Ele não permite que você o siga e continue fazendo as mesmas coisas. É preciso abrir mão dos prazeres, das ambições, dos alvos e dos maus hábitos de nossa vida secular.
           




           



[1] Servo de Deus que Congrega na Assembléia de Deus Missões em São João Del-Rei/MG
[2]    Barclay, William. Palavras Chaves do Novo testamento. Edições Vida Nova, São Paulo, 2010, pp24 e 25.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.