segunda-feira, 23 de julho de 2012

Mudança de Comportamento.

Mudança de comportamento. Necessário para alcançar uma vida cristã plena.
Jonas Dias de Souza
TEXTO BÍBLICO:  FILIPENSES 4
Em determinado tempo de nossas vidas temos que mudar o nosso comportamento. Comportamentos típicos da juventude não encaixam bem em homens adultos. Assim como comportamento infantil não servem para jovens. Com a vida Cristã é a mesma coisa. Chega um momento em que paramos de receber comida na boca, via culto, e começamos a nos alimentar sozinhos, via estudo bíblico sistemático. Isto, contudo, não significa abandonar os cultos e nos tornarmos infreqüentes na igreja. Pelo contrário, quanto mais
crescemos espiritualmente mais assíduos nos tornamos. Por conseqüência a igreja cresce com nosso crescimento espiritual.
Uma mudança típica de comportamento quando nos convertemos é deixar de lado a murmuração. Crente que murmura de forma insistente é crente que ainda não alcançou a plena confiança nos desígnios do Senhor Jesus cristo. É crente imaturo.
Quando estudamos o Livro de Filipenses, em especial o capítulo 4, deparamos com algumas lições que nos ensinam sobre esta mudança de comportamento. Vemos sobre a SUFICIÊNCIA DA VIDA E A ALEGRIA DA ESPERANÇA. O apóstolo Paulo nos ensina que é preciso aprender a viver contente. Viver uma vida repleta de alegrias. Ser crente em Cristo Jesus não é ter uma vida sem lutas. Muito pelo contrário as lutas aumentam. Pois passamos a combater uma Batalha espiritual. Uma guerra muito mais difícil de ser travada. Posto que não se combate com carne e sangue. Combatemos com as armas espirituais.
“Não digo isto como  por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho”. (Fp 4:11)
As questões que se apresentam :
1)Somos capazes de viver contente perante qualquer circunstância que tenhamos que enfrentar?
2)Será que passamos por grandes necessidades ou estamos descontentes por não ter o que desejamos?
Ao respondermos a primeira questão baseado na nossa força humana, podemos nos preparar para um fracasso gigantesco. Mas quando respondemos baseado na força oriunda de nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, e na confiança de seu sangue remidor. Podemos estar certos da vitória.
Uma maneira de conquistarmos a vitória neste assunto é exercitarmos a caridade.
“Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor.” (Fp 4:5)
O Cristão deve confiar no Senhor. Confiar naquele que entregou a sua vida para que pudéssemos desfrutar de uma comunhão com Deus.
“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas com ação de graças”. (Fp 4:6)
A segunda questão é uma questão pessoal. Mas o verdadeiro cristão se contenta com as palavras de salvação. O que vier de benção material deve ser usado para contribuir com o crescimento do Reino de Deus. Desejos não têm limites para o mundo. Estudando a Bíblia, crescendo espiritualmente, passamos a controlar os nossos desejos.
A chave de Filipenses pode ser encontrada nas palavras do apóstolo Paulo, no primeiro capítulo. “Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é ganho”. (Fp 1: 21)
Viver é cristo. Fora dele o que existe são coisas tentando preencher vazios existenciais e espirituais. Ocorre que coisas deterioram. Cristo é a fonte de água viva e inesgotável. A dedicação ao estudo sistemático e comprometido das Sagradas Escrituras mostra-nos o fruto do espírito Santo. Pois quando nos entregamos à oração e ao estudo da palavra, somos transformados. Esta mudança de comportamento que podemos adquirir na vivência Cristã, nos faz viver com;
·         Alegria no sofrimento
·         Alegria no servir
·         Alegria em crer
·         Alegria em Dar.
Alcançamos uma promessa graciosa e que abrange a nossa vivência cristã, refletindo no mundo. “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Fp 4: 13)
O que são essas fortalezas? São as vivências de acordo com o que nos recomenda a vida Cristã, e observações das doutrinas bíblicas. Os nossos desejos passam a ser o desejo de servir a Cristo. Sabe o que acontece? Confiamos que Deus atende as nossas necessidades. Ele sempre nos dará aquilo de que precisamos para viver. Para o apóstolo Paulo, ele deu coragem para enfrentar a morte. E também proverá tudo o que necessitarmos no céu. Mas temos que saber a diferença entre os nossos desejos e as nossas necessidades.
Outras questões se apresentam para reflexão.
1)      A que nos dedicamos quando sentimos um vazio interior?
2)      Como podemos encontrar o verdadeiro contentamento?

Vejamos a resposta baseada na Palavra de Deus.
A nossa Perspectiva deve ser:
“Irmãos, quanto a mim, não julgo que haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Jesus Cristo.” (Fp 3: 13-14)

A nossa prioridade deve ser:
“Quanto ao mais, irmãos, tudo que é verdadeiro, tudo que é honesto, tudo que é justo, tudo que é puro, tudo que é amável, tudo que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” (Fp 4:8)

A fonte de nosso poder deve ser:
“O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em Glória, por Cristo Jesus.” (Fp 4: 19)
É através de nossa confiança em cristo que mudamos as nossas atitudes e os nossos desejos. No lugar de cobiçarmos tanta coisa passamos a aceitar a provisão de Deus para as nossas vidas.
Amém

              

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com Responsabilidade. Lembre-se da máxima, o nosso direito termina onde começa o direito do outro. Além de tudo, mesmo que divergentes em opiniões, somos Cristãos.